Rock in Rio vai plantar um milhão de árvores na Amazônia

Show inédito com Plácido Domingo e sinfônica impulsionará campanha de doações
 

1 - Graça Paes - Rock in Rio 2015

Nesta segunda-feira, o Rock in Rio realizou o lançamento do Amazônia Live – Projeto Social do Rock in Rio para todas as edições do festival até 2019. Foi apresentada uma grande campanha de mobilização que incentiva a população a abraçar a causa, sob o mote “Mais do que Árvores, Vamos Plantar Esperança”. O encontro contou com artistas, formadores de opinião e parceiros.

 

Segundo a Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada (Raisg), de 1500 a 1977, certa de 4,7% da Amazônia foi desmatada. Só nos últimos 36 anos, este número subiu para 18%. Até 2013 o Brasil perdeu, segundo a Raisg, 632 mil km2 de florestas. O desmatamento afeta o clima e o equilíbrio das chuvas. Afeta diretamente quem está perto e também quem vive bem longe da floresta. E o que o Rock in Rio tem a ver com isso? Tudo.

 

Para o Rock in Rio, a música é uma linguagem universal que une pessoas em todo o mundo através da emoção e é uma importante plataforma para causas socioambientais. O pilar de sustentabilidade do festival — Por Um Mundo Melhor — foi criado em 2001 e já beneficiou milhares de pessoas no Brasil, Portugal, Espanha, Estados Unidos e em diversos outros países. Os investimentos são provenientes da venda de ingressos e de ações promovidas junto aos parceiros. Agora, a organização do festival inicia um movimento global que ajudará na restauração florestal da Amazônia e que tem como objetivo maior chamar a atenção das pessoas para a importância do consumo consciente dos recursos naturais do planeta e convoca-las a serem agentes ativos no combate às alterações climáticas através da sua própria mudança de comportamento.

 

A região da Amazônia é estratégica, pois abriga a mais importante reserva de biodiversidade do mundo, com papel fundamental na redução do impacto do aquecimento global. A ação vai restaurar áreas desmatadas nas cabeceiras e nascentes do Rio Xingu.

 

“Pela primeira vez estamos adotando globalmente uma mesma causa que será promovida em todos os países onde o Rock in Rio está, e não só, e se estenderá por várias edições do evento. Estamos garantindo o plantio de um milhão de árvores e, com a ajuda de marcas parceiras e dos fãs do festival, queremos chegar a cerca de 3 milhões de novas árvores na região. Com esta ação, vamos chamar a atenção do mundo inteiro para um problema urgente e mostrar que é possível plantar, sobretudo, esperança. Para se ter uma ideia da importância disso, segundo dados do ISA, uma floresta com 3 milhões de árvores transpira a cada dia cerca de 48 milhões de litros de água. Outro dado importante e que merece a nossa atenção é que a Amazônia tem 20% de toda a água doce do planeta e isso não pode se perder”, explica Roberto Medina, presidente do Rock in Rio.

 

 

A ideia desta iniciativa surgiu em 2015, quando a equipe do Rock in Rio foi procurada pela Prefeitura de Manaus. “Fomos desafiados pelo Prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, a promover um evento na região como forma chamar atenção para a importância da floresta no equilíbrio da vida em todo o planeta. O desafio foi totalmente ao encontro do compromisso que assumimos desde 2006 de contribuirmos ativamente no combate às alterações climáticas”, detalha Roberto Medina.

 

 

O dia 27 de agosto marcará o ponto alto do projeto. O Rock in Rio apresentará um espetáculo sem precedentes que colocará a causa em grande evidência. Um palco flutuante será montado no Rio Negro, em Manaus (AM). O espetáculo poderá ser acompanhado pelo mundo inteiro, com live streaming pela internet, em todo o Brasil pela transmissão do Multishow. Apenas 200 pessoas entre formadores de opinião e jornalistas terão a oportunidade de assistir o show no local, em uma plataforma flutuante montada para o efeito. A apresentação contará com o tenor lírico Plácido Domingo, com a Orquestra Sinfônica e ainda com o tenor Saulo Lucas (*1) interpretando a canção “Canto Della Terra”. A abertura será de Ivete Sangalo acompanhada também pela orquestra. Ainda em Manaus e na mesma data, Ivete fará um show aberto ao público, com o objetivo de chamar a atenção da população para as questões socioambientais. A ocasião também dará início à contagem regressiva de um ano para a sétima edição do festival no Brasil, em 2017.

 

 

Paralelamente, o Rock in Rio vai lançar uma campanha publicitária estrelada pelo ator Marcos Palmeira. A mensagem é um alerta para a importância do consumo consciente dos recursos naturais do planeta e uma convocatória para que cada pessoa seja agente ativo no combate às alterações climáticas através da sua própria mudança de comportamento. A campanha estará em todas as grandes mídias e criará também uma gigantesca mobilização nas redes sociais, convidando também cada pessoa a plantar uma árvore na Amazônia.

 

Serão investidos mais de R$ 28 milhões nessa iniciativa, incluindo custos de plantio, assistência técnica, monitoramento e gestão, campanhas de mídia, produção do show e gastos logísticos.

 

 

“Queremos chamar a atenção para um problema que afeta o mundo todo, sem qualquer exagero. Este é o grande investimento de uma empresa privada, mesmo em um momento de crise, pensando em um retorno direto para o planeta, e não para uma causa própria. E o investimento não será apenas financeiro, mas também uma união de esforços, com o engajamento de famosos e anônimos em prol de uma causa social e ambiental”, detalha Roberto Medina, Presidente do Rock in Rio.

 

A iniciativa do Rock in Rio para o plantio de árvores já conta com parceiros, como Itaú, Manaus Luz, Manaus Ambiental, Banco Mundial, Universidade Estácio de Sá, e Gol. Além das um milhão de árvores garantidas pelo festival, os parceiros também já se comprometeram com a causa elevando este número para 2,1 milhões.

 

 

Para o plantio das árvores será utilizado um mix de sementes chamado de muvuca, técnica escolhida e aprimorada pelo Instituto Socioambiental (ISA) para reproduzir o processo natural da floresta. A técnica utiliza semeadura direta e a experiência de plantadores de árvores do Xingu-Araguaia prova que plantar as sementes diretamente no chão, no seu local definitivo, é o melhor método para a maioria dos tipos de árvores. Durante os três primeiros anos após o plantio serão publicadas notícias e relatórios técnicos sobre a situação das árvores e da floresta recuperada, garantindo transparência e monitoramento para quem acreditou nesta ideia. A experiência de plantadores de árvores do Xingu-Araguaia prova que plantar as sementes diretamente no chão, no seu local definitivo, é o melhor método para a maioria dos tipos de árvores.

 

 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.