Romário tem cobertura leiloada na Barra

Cobertura leiloada
 

Ocorreu nesta terça-feira, dia 28, no auditório do 3º andar do Fórum da Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, o leilão da cobertura do ex-jogador Romário. A ação foi movida por vizinhos do atleta devido aos prejuízos causados por infiltrações. Porém, o apartamento com quase 800 m2 e vista para o mar, avaliado em R$ 8,9 milhões, não foi arrematado.

O lance vencedor deverá acontecer no próximo dia 12 de agosto, data marcada para a 2ª praça, onde o futuro comprador poderá adquirir o imóvel por um valor menor do que o da avaliação judicial. “Na 2ª praça, o lance inicial será a metade do valor da cobertura. O fato de não ter havido nenhuma oferta hoje já era mais do que esperado”, explicou o leiloeiro público Jonas Rymer.

Ele não acredita que o leilão que acontecerá daqui a 15 dias seja mais disputado por tratar-se de um apartamento que pertenceu a um jogador famoso, mas sim por suas próprias características. “Não creio que o bem seja mais valorizado porque era do Romário. Ele é, na verdade, um grande investimento, um imóvel único no Rio de Janeiro, um apartamento que possui 4 suítes e ocupa todo andar de um dos mais sofisticados e luxuosos condomínios da Barra, o Barra Golden Green”, acrescentou Rymer.

Romário não compareceu a esta 1ª fase do leilão. Sem nenhum lance ofertado, o leiloeiro deu por encerrado o pregão em cerca de 10 minutos. O “Baixinho” possui dívidas que ultrapassam os R$ 12 milhões relativas a débitos fiscais e a falta de pagamento de taxa condominial, além de compromissos com outros credores. É o que explicou a juíza Adriana Angeli de Araújo, titular da 5ª Vara Cível Regional da Barra da Tijuca.

“Há várias dívidas a serem quitadas e estas devem seguir a uma ordem de reserva de créditos. Primeiro serão pagos os débitos com a União, Estado, Município, dívidas de condomínio e pensão alimentícia, caso ainda haja necessidade. Em seguida, um outro credor, a empresa de projetos Koncretize, receberá R$ 7.597.000,00. Só então os autores desta ação serão contemplados”, afirmou.

De acordo com os autos, Romário devia aos vizinhos, em dezembro de 2006, R$ 2.276.448,03, valor que ainda será corrigido e atualizado monetariamente. A magistrada disse ainda que se a quantia arrecadada com a venda do imóvel não for suficiente para quitar as dívidas, novos bens do ex-atleta serão alienados.

 

 

 

 

Fonte: Tribunal de Justiça do Rio

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.