Malha ferroviária recebe aporte de R$ 420 milhões

Verba aplicada em 2 anos e meio foi investida em frentes como a compra de trens
 

trens-urbanos-supervia

 

Com um planejamento de investimentos de R$ 1,2 bilhão entre 2011 e 2020, a SuperVia completa dois anos e meio de trabalhos com R$ 422 milhões aplicados em melhorias. Para o ano que vem, a concessionária planeja o maior aporte da sua história para intervenções, e 20 novos trens devem entrar em circulação para atender os cerca de 560 mil passageiros que transporta diariamente.

 

 

 

Compra antecipada

Do montante investido pela SuperVia, R$ 322 milhões fazem parte do contrato de concessão e R$ 100 milhões são adicionais. Entre as melhorias em andamento estão a modernização de trens, reforma de estações, substituição de trilhos, dormentes e cabos de rede aérea, além da antecipação da compra das novas composições que entrarão em circulação a partir do ano que vem, três anos antes do previsto.

 

 

“A SuperVia já deu o passo inicial para a implementação  os investimentos e agora trabalhamos em ritmo acelerado para que todos os projetos em andamento se tornem realidade no dia a dia dos nossos passageiros”, afirmou o presidente da concessionária, Carlos José Cunha.

 

 

Em 2014, o novo sistema de sinalização já estará em funcionamento nos cinco ramais, reduzindo o intervalo entre as composições pela metade. De acordo com Carlos Cunha, no ano que vem, a concessionária também dará prosseguimento às reformas das estações.

 

 

“Queremos oferecer um serviço de alta qualidade no transporte de passageiros do estado. Ao longo dos próximos anos, daremos continuidade ao processo de transformação do sistema ferroviário”, disse Cunha.

 

 

Também está em fase de construção a fábrica de dormentes da SuperVia, que terá capacidade para produzir 1,6 mil unidades de concreto por dia. Outra iniciativa é a fábrica de montagem de trens, que está sendo erguida em uma área próxima à oficina de Deodoro, na Zona Oeste do Rio.

 

 

 “Os investimentos são vitais para o avanço da qualidade do serviço. Até o fim de 2014, teremos 191 trens em operação, todos modernos e com ar- condicionado”, explicou o secretário de Transportes, Julio Lopes.

 

 

GOVERNO DO RIO

 

 

0 comentários