Sérgio Cabral expõe suas ideias na CCBT

Candidato discusa sobre boa gerência
 

No encontro com Sérgio Cabral, na Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, Delair Dumbrosck explicou a plateia como se forma um partido político e a importância do voto: “É a terceira vez que nos juntamos (Acir, Barralerta e CCBT) para ouvir propostas do candidato majoritário. Temos a consciência que temos que nos filiar a um partido político e precisamos pressionar para ter no futuro a figura do vereador distrital” ressaltou.

Alfredo Lopes, da Acir,  lembrou que falta participação da sociedade nos principais projetos: “A Transoeste vai despejar um volume fantástico de ônibus e carro. Estamos a beira do caos. Tem 12 mil novas unidades habitacionais sendo construídas, serão mais de 30 mil carros circulando. O crescimento será na Barra da Tijuca. Devemos agilizar as desapropriações para finalizar as vias da região”.

Kleber Machado, do Barralerta, ressaltou que na política é necessário a renovação e que são as pessoas que elegem os candidatos.

O candidato a Governador do Rio Sérgio Cabral chegou atrasado, mas discursou sobre diversos pontos, afirmando que o importante é a boa gerência : “Não adianta gerar sonhos e propostas, sem uma boa administração. Sem arrumar a casa é impossível. Assumi o Rio em dívida, com pagamentos atrasados e sem pagamento até a fornecedores. Tivemos que restabelecer os bons relacionamentos. No dia 30 de março, ganhamos o grau de investimento nos EUA, o que mostra nossa credibilidade.A mudança foi radical. Não dá para fazer nada com retórica, só com gestão”.

Cabral frisou que houve evolução na Segurança, Educação e  Saúde, mas admitiu que ainda há muito para ser feito e ressaltou a importância de ter a Copa e Olimpíadas no Rio: “Teremos um legado físico e da auto-estima do povo”.

Sobre transportes, o candidato frisou: “Temos que ir onde o povo está. Este é o objetivo do metrô”. Cabral adiantou que ainda pretende conectar mais a Supervia com o Metrô. Ele ainda lembrou que o Bilhete único foi uma grande conquista tanto para os trabalhadores, como para as empresas, que agora pagam um valor menor no vale transporte. No final de seu discurso, Cabral ainda pediu voto para Dilma, Dornelles e Picciani.

Fonte: Tatiana Couto, editora-chefe AIB

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.