Tocha olímpica percorrerá mais de 300 cidades brasileiras até os Jogos Rio 2016

A tocha vai passar por todos os cantos do Brasil e quem não puder estar aqui no Rio na época dos Jogos vai ter a oportunidade de participar e sentir o gostinho
 
 

 

Os brasileiros conheceram nesta quarta-feira (24/02) o roteiro completo de revezamento da tocha olímpica, que começará seu percurso no dia 3 de maio, partindo de Brasília. O fogo sagrado irá percorrer em 95 dias 329 cidades, incluindo todas as capitais estaduais, em mais de 20 mil quilômetros (além de 10 mil milhas aéreas) até chegar ao Rio de Janeiro no dia 4 de agosto. Ao todo, 12 mil brasileiros irão conduzir a tocha. O objetivo é ligar o Brasil de norte a sul, confirmando o compromisso de envolver a população com os Jogos e levar o espírito olímpico a todos os cantos do país.

 

Durante evento realizado pelo Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, na Cidade Nova, além do roteiro, o uniforme que será utilizado no revezamento foi apresentado pelo mascote Vinícius. A roupa, predominantemente branca, representa a união entre as diferentes culturas regionais e os povos no mundo. Já o amarelo, simboliza a Chama Olímpica. A cerimônia contou com a participação de autoridades, atletas, representantes dos patrocinadores oficiais dos Jogos, além de brincantes e pernaltas do Barracão da Poti (grupo do Rio de Janeiro que apresenta danças como reisado) e de crianças que carregaram placas apresentando as cidades que integram o roteiro.

 

– O mais importante é que serão brasileiros que irão conduzir a tocha. Queremos que todos participem e sintam uma grande emoção. A ação da tocha é o movimento da chama geral em que todos estarão unidos e contagiados, com uma autoestima enorme. É, de fato, a oportunidade de festejar e celebrar os Jogos – disse o presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman. 

 

Durante o evento, também foram divulgados os 16 primeiros nomes confirmados como condutores da tocha. A relação inclui a judoca Erika Miranda; a ex-ginasta Lais Souza; a bicampeã olímpica de vôlei Fabiana Claudino; o nadador paralímpico Clodoaldo Silva; a iatista Isabel Swan; o paracanoista Caio Ribeiro; a ex-atleta de vôlei de praia Adriana Behar; o ex-nadador Gustavo Borges; a ex-tenista Maria Esther Bueno; entre outras personalidades.

 

 

O revezamento da tocha começará pela região Centro-Oeste. Além do ponto de partida – Brasília -, os critérios de escolha das cidades para o traçado do percurso estão relacionados à logística e também a pontos turísticos. Lugares especiais como Fernando de Noronha, Chapada Diamantina, as Ruínas de São Miguel das Missões, Inhotim, Chapada dos Guimarães, Lençóis Maranhenses, entre outros, estão na rota da Chama Olímpica. O percurso terminará com a chegada à Cidade Maravilhosa, que terá seu revezamento interno da tocha até o acendimento da pira, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, em 5 de agosto.

 

– A tocha tem dois grandes objetivos que é esquentar o clima, envolvendo a população nos Jogos, e humanizar, divulgando os vários aspectos da cultura das cinco regiões do país – afirmou o presidente da Empresa Olímpica Municipal, Joaquim Monteiro, que representou o prefeito Eduardo Paes na cerimônia.

 

O revezamento da tocha começará no dia 21 em Olímpia, cidade da Grécia onde nasceu a Olimpíada. De lá, a Chama Olímpica viajará até o Brasil, onde começará a viagem rumo ao Rio de Janeiro. O revezamento do símbolo tem sua origem entre os gregos, que mandavam mensageiros pelas cidades-Estado anunciando um período de trégua para possibilitar a viagem de atletas e público até as competições olímpicas.

 

A judoca brasileira Érika Miranda desfilou com o novo uniforme e carregou a tocha, como demonstração durante a cerimônia. A atleta olímpica falou sobre a emoção de ter sido escolhida para participar do revezamento:

 

 

 

– Já deu pra sentir um gostinho de Olimpíada antecipado. É uma sensação indescritível poder competir no meu país, representando o meu povo e ainda participar do revezamento da tocha. Estou muito feliz. Fiquei surpresa com o convite e também muito empolgada por carregar o símbolo máximo dos Jogos. A tocha vai passar por todos os cantos do Brasil e quem não puder estar aqui no Rio na época dos Jogos vai ter a oportunidade de participar e sentir o gostinho.

 

Já a ex-ginasta Lais Souza não vê a hora de participar pela primeira vez da abertura dos Jogos:

 

– Pra mim é um sonho poder participar e estar mais próxima da Olimpíada, o maior evento da galáxia. Apesar de ter ido para três Olimpíadas eu nunca fui em nenhuma cerimônia de abertura. Vai ser uma oportunidade que eu vou agarrar com unhas e dentes. Estou grata por ter sido escolhida. Vou fazer o máximo para comover as pessoas e levar esse espírito olímpico para cada cidade.

 

Nos próximos meses, o Comitê Rio 2016 divulgará os nomes de mais condutores da tocha no revezamento.
 

 
 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.