União e Estado se reúnem para tratar sobre a nova gestão da Segurança do Rio 

Encontro com várias autoridades ocorreu, neste sábado, no Palácio Guanabara
 

O presidente da República, Michel Temer, e o governador Luiz Fernando Pezão se reuniram no sábado (17/2), no Palácio Guanabara, um dia após assinar o decreto de intervenção federal na área da segurança pública.

 

Temer destacou o trabalho cooperativo entre a União e o Estado no combate à criminalidade.

 

– Trata-se de uma intervenção cooperativa, porque nós a decretamos depois de uma conversa com o governador Luiz Fernando Pezão. Nós queremos que o Rio de Janeiro tenha medidas firmes, seguras, especialmente para proteger os mais vulneráveis. Não foram poucas as mortes, não apenas de policiais, mas também de trabalhadores, crianças e jovens. Quero registrar que não basta apenas o gesto da União, é preciso a cooperação de todos. Por isso, estavam na reunião o presidente do Tribunal de Justiça, o procurador-geral de Justiça, o defensor público, enfim, várias autoridades, inclusive setores da sociedade civil. Todos unidos, juntamente com a União e o Estado, para combater a criminalidade – disse Michel Temer, que anunciou a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública, responsável por coordenar o trabalho da segurança pública em todo o país, sem invadir as competências de cada estado federado.

 

Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, haverá um acompanhamento constante das ações realizadas no Rio de Janeiro.

 

– Vamos criar um observatório na Câmara para que esta operação seja organizada e efetiva em todo o Estado do Rio de Janeiro – declarou Maia.

 

O secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo, lembrou que o combate à violência reflete em outros setores e impacta positivamente no crescimento do estado.

 

– A abrangência da ação das forças de segurança é em todo o Estado do Rio de Janeiro, capital, Baixada Fluminense e interior. Todas as secretarias vão cooperar para que os resultados sejam os melhores possíveis, abrindo caminho rápido para que o desenvolvimento traga de volta os empregos, pois assim se combate a violência de maneira mais sustentada – afirmou o secretário.
 

A primeira reunião de trabalho após a transferência das operações de segurança ao Governo Federal contou ainda com a presença do ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco, do chefe de Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Sérgio Etchegoyen, dos ministros da Defesa, Raul Jungmann, da Justiça, Torquato Jardim, do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, do vice-presidente da Alerj, Wagner Montes, do Procurador-Geral de Justiça, Eduardo Gussem, do presidente do Tribunal de Justiça – RJ, Milton Fernandes de Souza, do Defensor Público-Geral, André Castro, entre outras autoridades.
 

 

Pela medida assinada pelo presidente Temer, o general do Exército Walter Souza Braga Netto, Comandante Militar do Leste, é o responsável, até 31 de dezembro deste ano, pelo comando operacional da Secretaria de Segurança, das polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e do sistema penitenciário do Estado.

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.