Venezuela importa modelo do PAC do Rio

Dois técnicos do Estado estão em Caracas para mostrar experiências bem sucedidas
 
As experiências bem sucedidas do Governo do Estado em comunidades carentes e violentas do Rio despertaram o interesse de outros países. É o caso da Venezuela, para onde viajaram a coordenadora dos projetos sociais do programa, Ruth Jurberg, lotada no Escritório de Gerenciamento de Projetos (EGP) da Secretaria da Casa Civil, e o presidente da Empresa de Obras Públicas (Emop), Ícaro Moreno Júnior. Eles estão em Caracas, a fim de participar, desta segunda-feira (5/09) até quinta-feira (8/09), de um seminário organizado pelo governo venezuelano, no qual irão expor as realizações do Governo do Estado no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Comunidades.
 
As autoridades do país vizinho querem replicar na comunidade carente de San Agustin, em Caracas, obras de urbanização e infraestrutura e projetos sociais como os do PAC. Os dois viajaram no fim de semana para a capital venezuelana, acompanhado do representante do governo federal, o sociólogo Paulo Magalhães, que intermediou a participação dos técnicos do Estado do Rio no seminário. Ruth e Ícaro primeiro conhecerão, nesta segunda-feira, a comunidade San Agustin.
 
Ícaro dará palestra na terça-feira. Ele disse que vai mostrar o que foi feito no Alemão, desde as dificuldades encontradas, o processo de desapropriação de moradias e a construção de unidades habitacionais para alocar as famílias removidas até a implantação do teleférico, passando pela execução de obras de infraestrutura e saneamento. Na quarta-feira, Ruth vai falar sobre a metodologia dos projetos sociais desenvolvida nas comunidades e os resultados alcançados.
 
– Vou falar especialmente sobre os programas emblemáticos que executamos no PAC, como o de gestão do impacto, realocando milhares de famílias em um ano, e o de geração de emprego e renda, incentivando o cooperativismo, o empreendedorismo e a capacitação de moradores, desde a implantação de alfabetização de adultos até a realização de cursos profissionalizantes – antecipou a coordenadora.
 
Segundo Ruth Jurberg, o governo brasileiro assinou um convênio de cooperação técnica para apoiar ações sociais na Venezuela semelhantes aos projetos brasileiros há cerca de dois anos. Além de já estar prestando assistência em relação à transferência de tecnologia e conhecimento para implantação de sistemas como o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e de linhas de financiamento de moradias populares, o governo federal abriu uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF) em Caracas. Após a assinatura do convênio, uma missão de economistas, engenheiros e técnicos da área social da Venezuela visitou as obras e o canteiro social do Estado no Complexo do Alemão.
 
– Eles viram as obras em andamento, conheceram em detalhes o projeto do teleférico e decidiram implantar um igual, embora menor, em San Agustin. A construção foi feita por uma das empresas do consórcio do PAC do Alemão. Agora, eles querem focar na implantação de obras de urbanização e infraestrutura, em moradias e em ações sociais. Por isso, o Itamaraty convidou a mim e ao Ícaro para participar do seminário organizado pelo Ministério de Obras Públicas e Habitação da Venezuela, para que a gente relate nossa experiência pioneira no Alemão – relatou Ruth.
 
PAC do Alemão atende cerca de 120 mil moradores
 
O PAC do Alemão teve um investimento de R$ 721 milhões e beneficia cerca de 120 mil moradores de 12 comunidades. Em vários pontos, foram realizadas obras de acessibilidade, melhoria das condições de habitação, saúde, educação, esporte e lazer, cultura, trabalho e renda e assistência social, além da implantação do teleférico, integrado com os trens da Supervia na estação de Bonsucesso. Inaugurado no dia 7 de julho último, ele pode transportar até 30 mil passageiros por dia.
 
As obras no Alemão incluíram a construção de 920 novas unidades habitacionais: 728 já foram entregues e 192 serão inauguradas neste semestre. O plano inclui também a aquisição de unidades habitacionais através de compra assistida. O programa promoveu ainda melhorias na infraestrutura urbana, como implantação de esgoto sanitário, abastecimento de água, iluminação, pavimentação, recuperação ambiental, obras viárias, drenagem pluvial e contenção de encostas. Essas obras estão sendo realizadas em oito localidades. Foram abertos ainda três espaços comunitários: espaço esportivo, Centro de Geração de Renda e Centro Integrado de Atenção à Saúde. E, ainda, uma escola de ensino médio, o Colégio Estadual Jornalista Tim Lopes.

Fonte: Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.