Início Plantão Brasil 12ª edição da FITA homenageia o ator Tarcísio Meira

12ª edição da FITA homenageia o ator Tarcísio Meira

bn-o-camareiro

 

A Festa Internacional do Teatro de Angra dos Reis – FITA, em sua 12ª edição, prestará uma grande homenagem ao ator Tarcísio Meira. Aos 80 anos, 60 deles dedicados à carreira artística, o eterno galã da família brasileira, como é carinhosamente conhecido, foi agraciado recentemente com o Prêmio Shell de melhor ator pela interpretação de “O Camareiro”, dirigido por Ulisses Cruz, peça que se apresenta dia 18 de junho, 19h30 no Palco Sesc Rio à margem da Praia do Anil.

 

 

 

Ao lado de Kiko Mascarenhas, Tarcísio retorna aos palcos teatrais após um jejum de 20 anos. Completam o elenco os atores Lara Córdula, Karen Coelho, Silvio Matos, Ravel Cabral e Analu Prestes para contar a história de “Sir”, personagem de Tarcísio, um ator que mal se lembra das falas da peça que está prestes a estrear. Norman, seu dedicado camareiro, desdobra-se para atender as exigências de seu patrão, cuida de sua saúde e tenta ajudá-lo com as falas. A forte ligação entre ator e camareiro é um dos destaques da peça.

 

 

Tarcísio Meira dá vida ao ator de teatro Sir no espetáculo “O Camareiro” pelo qual recebeu o

Prêmio Shell 2015 de melhor ator.

 

 

Casado há 52 anos com a atriz Glória Menezes, Meira pode ser considerado um dos atores que mais decorou textos no mundo. Só na televisão, foram mais de 60 trabalhos, entre novelas, seriados e minisséries, teleteatros e telefilmes, numa carreira que começou em 1961, na extinta TV Tupi.   Tarcísio Meira e Glória Menezes protagonizaram a primeira novela no país e inauguraram o horário das 20h na Tv Globo.  “Com certeza, algum ator mexicano terá feito mais novelas do que eu, falado mais palavras do que eu. Mas ele não terá decorado tantas: eles não decoram, usam ponto eletrônico”, justifica.

 

 

Fonte: Internet / Foto Agência O Globo

 

 

E poderiam entrar na conta também os 22 longas-metragens que estrelou, dirigidos por cineastas como Glauber Rocha, Walter Hugo Khouri, Anselmo Duarte e Bruno Barreto; e as 31 peças de teatro em que atuou. O que dá cerca de 80 mil páginas, que renderam interpretações memoráveis, não só de personagens ficcionais, mas também de figuras históricas como D. Pedro I e Euclides da Cunha. E não se trata somente de quantidade, mas também de qualidade: Tarcísio marcou presença em momentos-chave da televisão e – por que não dizer até – da cultura brasileira.

 

 

Para ele, não poderia ser diferente. Tarcísio nasceu para ser ator. “O trabalho do ator é bonito e útil. Diz respeito à sensibilidade. Eu procuro desempenhá-lo da melhor maneira possível, com a máxima eficácia. Tento convencer as pessoas das verdades daquele personagem. Essa carreira me gratifica muito.”

 

 

Juntos, atores foram protagonistas da primeira novela diária do país e inauguraram a faixa das 20h da rede Globo.

 

 

Entre os dias 3 e 19 de junho, a mais bonita festa teatral, FITA, será apresentada no palco Sesc RJ com apoio do Ministério da Cultura e Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, além dos patrocínios da Transpetro, BrasFELS e Universidade Estácio de Sá. Nesta 12ª edição serão apresentados 51 espetáculos com preços populares a partir de R$ 2,50.