Início Plantão Rio A Livraria Camões e a cultura letrada portuguesa no Brasil

A Livraria Camões e a cultura letrada portuguesa no Brasil

 

Criado pela Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC) a série “Memória da vida literária do Rio de Janeiro” – dedicada ao registro de instituições e personagens do mundo do livro na capital fluminense -, debate na próxima segunda-feira (19/03) o tema “A Livraria Camões e a cultura letrada no Brasil”. Reunindo pesquisadores, o evento irá discutir a importância da loja portuguesa na cena cultural carioca. O encontro acontece das 16h às 18h, no Auditório Machado de Assis. Entrada franca.

 

 

Na ocasião, o livreiro José Estrela fará um depoimento sobre sua trajetória e a da livraria. “Ele é gerente da loja desde a fundação”, lembra Aníbal Bragança, Coordenador-Geral de Pesquisa e Editoração da FBN. Além do livreiro, duas das mais importantes estudiosas do universo acadêmico brasileiro estarão presentes: Cleonice Berardinelli, considerada a maior especialista no tema do país, e Gilda Santos, professora da UFRJ que trabalhou com o assunto por 30 anos.

 

Inaugurada em novembro de 1972, a Livraria Camões abriga um acervo de 12 mil títulos portugueses. “A loja é vinculada à Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM), de Portugal”, conta Aníbal. Recentemente, a crise financeira no país levou o órgão a decretar o fechamento do estabelecimento comercial. Porém, uma iniciativa por parte dos leitores e estudiosos da literatura portuguesa do Rio de Janeiro impediu que a loja encerrasse suas atividades. Para Aníbal, esse movimento deixou clara a importância da livraria na vida da cidade, especialmente para a presença da cultura letrada de Portugal no Brasil.

 

“Memórias da vida literária do Rio de Janeiro” é um evento mensal. O primeiro foi realizado em dezembro do ano passado, dentro das comemorações dos 80 anos do livreiro e editor José Olympio.

 

A Livraria Camões e a cultura letrada portuguesa no Brasil
19 de março no Auditório Machado de Assis, na Biblioteca Nacional
Endereço: Rua México, s/nº (acesso pelo jardim)- Centro – Rio de Janeiro
Horário: 16h às 18h
Entrada Franca

Fonte:  Fábio Diegues  | [email protected]