Início Plantão Rio Ações para amenizar o efeito das chuvas de abril

Ações para amenizar o efeito das chuvas de abril

O vice-prefeito do Rio e secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz, representou o prefeito Eduardo Paes na solenidade de abertura do seminário "Chuvas de Abril: lições e soluções". O evento, realizado nesta segunda-feira, 7, no auditório do Clube de Engenharia, no Centro, reuniu o ministro das Cidades, Márcio Fortes, os secretários estaduais de Meio Ambiente, Marilene Ramos, e de Obras, Hudson Braga, entre outras autoridades.
 
Muniz destacou o empenho da Prefeitura no trabalho de minimizar os efeitos das fortes chuvas que atingiram a cidade no mês de abril.
 
– A Prefeitura do Rio assumiu sua responsabilidade e se manteve de prontidão durante todo o tempo. Além disso, com o empenho da Defesa Civil, Comlurb e da Secretaria de Conservação, estamos recuperando a cidade – disse ele, que também falou sobre o estudo que pretende acabar com os alagamentos na Praça da Bandeira.
 
– Os estudos estão em fase final. Em breve levantaremos o custo do projeto para colocarmos em prática – disse o vice-prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente.

O vice-prefeito também anunciou para este mês a divulgação dos resultados de um estudo sobre as condições climáticas da cidade.
 
– Estamos fazendo um segundo inventário sobre os gases de efeito estufa na cidade do Rio de Janeiro. O primeiro boletim será divulgado ainda este mês. Daqui a dois meses, será divulgado o complemento do inventário total. O último estudo foi realizado em 1995, daí a importância de se realizar um novo levantamento, para que possamos evoluir e avaliar se as metas de redução dos gases de efeito estufa da cidade – que estipulamos reduzir em até 8% até 2012 – estão sendo alcançadas.
 
Muniz afirmou não esperar que o novo inventário aponte um resultado crítico.
 
– Estamos muito otimistas em relação à conquista da meta. A questão dos resíduos na cidade vem melhorando a cada dia, sem falar que daremos um salto de qualidade nessa questão com a instalação do novo Centro de Tratamento de Resíduos. Além disso, temos avançado muito progressivamente na questão da redefinição da malha viária das linhas de ônibus. Em parceria com a Fetranspor, através de nosso Programa de Controle de Emissão dos Motores a Diesel, observamos uma melhora substancial – concluiu.
 
O ministro Márcio Fortes destacou a busca pelo ordenamento urbano como o tema principal do seminário, mencionando investimentos do governo federal em obras de saneamento, macro e micro drenagem em diversos municípios do país, que também estão recebendo apoio na execução do Plano de Redução de Riscos. Segundo ele, a prevenção é fundamental.
 
– Devemos corrigir o passado e prevenir o futuro – disse, acrescentando que somente a legislação não basta. “É preciso que haja fiscalização”. O ministro anunciou para este mês a realização de uma nova edição da Conferência Nacional das Cidades.
 
Representando o governador Sérgio Cabral, o secretário Hudson Braga declarou que o governo do estado está realizando, em parceria com o governo federal, uma avaliação geológica nos municípios fluminenses para identificação de áreas que apresentam risco geológico. A partir desses resultados, segundo ele, será possível "ir a campo para trabalhar na prevenção de riscos estruturais e na retirada de moradores dessas áreas”.

O seminário "Chuvas de Abril: lições e soluções" também recebeu o presidente da Fundação Instituto de Geotécnica do Município do Rio (Geo-Rio), Márcio José Mendonça Machado, além de Flávio Erthal, presidente do Departamento de Recursos Minerais (DRM); Ian Schumann Martins, presidente do Núcleo Rio de Janeiro da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS-RJ) e professor da Coppe-UFRJ, e Alberto Sayão, professor da PUC-RJ e presidente da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (AMBS) entre 2004 e2008.

 

Fonte: Prefeitura do Rio