Início Plantão Brasil Acordo vai ampliar inclusão financeira

Acordo vai ampliar inclusão financeira

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Márcia Lopes, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, assinaram nesta quarta-feira, em Brasília, acordo de cooperação técnica para implementação de ações de inclusão financeira e melhoria da qualidade de vida dos beneficiários do Programa Bolsa Família. O documento foi firmado durante a solenidade de abertura do II Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira, que teve a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 
 
O encontro prossegue até sexta-feira (19), reunindo representantes de governo, de bancos, operadores, técnicos nacionais e internacionais e pesquisadores. O objetivo é repensar o modelo de inclusão financeira no Brasil, buscando um sistema financeiro eficiente e sustentável
Graças ao projeto de inclusão bancária criado pelo MDS em parceria com a Caixa Econômica Federal em 2009, os beneficiários do Bolsa Família já conseguem abrir conta corrente em bancos e ter poupança. A medida promove a participação de um público excluído da rede bancária por vários fatores, como a falta de documentação (comprovante de renda ou de moradia). Atualmente, 1,7 milhão de famílias do Bolsa Família já possuem conta corrente simplificada na Caixa.  
 
O acordo assinado entre MDS e Banco Central vai aprimorar o processo de inclusão financeira das famílias de baixa renda cujos dados estão registrados no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. O cadastro já possui o registro de 20 milhões de famílias. Dessas, 12,6 milhões são beneficiadas pelo Bolsa Família. O acordo prevê intercâmbio de informações técnicas, realização conjunta de pesquisas e estudos sobre serviços financeiros destinados a famílias de baixa renda e capacitação para servidores, tanto do ministério quanto do Banco Central, entre outros objetivos. 
 
“Para alguns, R$ 20 não é nada, mas para uma pessoa que levanta de manhã e olha para o fogão e vê que não tem feijão, leite, farinha, R$ 20 dão para fazer uma festa. E é essa a dimensão que alguns esquecem”, destacou o presidente Lula. “Pouco dinheiro na mão de muitos significa distribuição de renda e muito dinheiro na mão de poucos é concentração de renda”, frisou.
 
Dirigindo-se ao presidente do Banco Central, Lula disse, bem-humorado: “Quer que o País cresça? Coloque ‘prata’ na mão dos pequenos, dê oportunidade para os pequenos terem acesso às coisas”.
A ministra Márcia Lopes disse que as famílias pobres que estão tendo mais oportunidades no País também querem inclusão financeira. “Estamos abrindo as fronteiras para participação de toda a população no sistema financeiro”, acrescentou. “Hoje temos 20 milhões de famílias no Cadastro Único e sabemos quem são elas, onde estão, como vivem. E nos cabe esse desafio de assegurar a elas, com total segurança, o acesso à inclusão financeira.” 
 
Nesta quinta-feira (18), representantes do MDS levarão ao debate o tema “A inclusão financeira das famílias de baixa renda no Brasil”. O painel será introduzido por Julie Zollman, do Bankable Frontier, dos Estados Unidos. Ela deve traçar um panorama dos serviços financeiros para população de baixa renda no mundo, apontando barreiras que o sistema financeiro pode encontrar para atender à demanda. Às 11h, a secretária de Renda de Cidadania do MDS, Lúcia Modesto, coordenará o debate, que discutirá estratégias para ampliar o acesso da população pobre a serviços bancários e de microcrédito.
O evento tem a parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e apoio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB ), Febraban e MDS.
Serviço
II Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira – Participação do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS)
Data: até 19 de novembro de 2010
Hora: abertura às 8h30 (horário de Brasília), na quinta-feira, dia 18 
Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Eixo Monumental, Lote 5, Brasília, DF

Fonte: Ministério do Desenvolvimento