Início Plantão Rio Áreas protegidas do Rio terão gestão integrada

Áreas protegidas do Rio terão gestão integrada

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, assinou nesta segunda-feira (1º/3) a portaria que cria o Mosaico Carioca de Áreas Protegidas. A iniciativa tem o objetivo de fortalecer e dar maior eficiência às ações de proteção dos ecossistemas associados ao bioma e zonas costeiras adjacentes localizadas na Região Metropolitana da cidade do Rio de Janeiro.

Contando com um conselho consultivo que atuará como instância de gestão integrada dessas áreas no estado, o mosaico não substituirá a administração individual, mas fortalecerá e dará maior eficiência às ações desenvolvidas. A primeira, já ocorre nesta quarta-feira (3/3), com uma operação de fiscalização na Praia de Grumari. O ministro Carlos Minc enfatizou os ganhos da gestão integrada.

– Você pode usar as três instâncias do governo para trabalhar. Com a visão mais dinâmica, o ecoturismo também será fortalecido e as unidades terão mais recursos – destacou.
Segundo o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) – órgão executivo da Secretaria do Ambiente – Luiz Firmino Martins Pereira, a criação do Mosaico representa um avanço muito grande na política ambiental, pois vai melhorar a atuação em cada uma dessas áreas de conservação, agilizando a fiscalização e combatendo com maior eficiência os incêndios florestais, por exemplo.
A presidente da Aliança de Conservação da Mata Atlântica, Márcia Hirota, ressaltou que o Estado do Rio de Janeiro tem se destacado na criação de novas áreas de preservação ambiental, exemplo que deve ser replicado no país.

Para o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Inea, André Ilha, o Estado vive um momento único.
– A implantação do Mosaico Carioca é um passo extraordinário no sentido de aprimorarmos a gestão das unidades. Isso só é possível graças à política aliada nas três esferas de poder – disse.
A cerimônia, que foi realizada no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico, contou também com a presença do presidente do Jardim Botânico, Liszt Vieira, do subsecretário municipal de Meio Ambiente, Altamirando Morais, e do coordenador regional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Rogério Rocco.

O Mosaico
O Mosaico Carioca de Áreas Protegidas inclui, além de áreas localizadas na cidade do Rio de Janeiro, pequenas porções dos municípios de Nova Iguaçu e Nilópolis, somando mais de 35 mil hectares. É composto por 27 unidades de conservação da natureza e mais duas áreas protegidas: o Jardim Botânico do Rio de Janeiro e a Reserva Florestal Vista Chinesa.

Estão contidos ainda no Mosaico os três principais maciços montanhosos da cidade – Tijuca, Pedra Branca e Gericinó/Mendanha – além de diversos rios, lagunas, manguezais, praias, áreas marinhas e ilhas. Em função da diversidade de habitats, a região abrangida é rica em espécies endêmicas, raras e ameaçadas de extinção.

Fonte: Inea