Início Plantão Rio Bolsas de criação e circulação literária

Bolsas de criação e circulação literária

 

O presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, e o Presidente da Funarte, Antonio Grassi, anunciam nesta quinta-feira, dia 28 de junho, o lançamento oficial das Bolsas de Criação e Circulação Literária BN/Funarte. O anúncio será feito às 16h no Auditório Machado de Assis, localizado no prédio sede da Biblioteca Nacional.

 

Ao todo serão oferecidas 30 bolsas para a criação literária na categoria iniciante, em âmbito nacional, no valor de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) cada. O objetivo é promover o desenvolvimento de projetos de criação de romances, contos, crônicas, novelas e poemas. Já para a circulação literária serão destinadas 20 bolsas no valor de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), com o intuito de concretizar projetos voltados à promoção e difusão da literatura por meio de oficinas, cursos, contação de histórias e/ou palestras. O projeto tem investimento total de R$ 1,25 milhão.

 

A Bolsa de Criação Literária foi oferecida anualmente de 2007 a 2010 e é um dos mais importantes programas de fomento à criação literária no Brasil. Prova disso é o crescente número de inscrições registradas a cada edição: no primeiro edital, foram 502 inscritos. Em 2010, os inscritos já eram 1490. O número de bolsas concedidas também aumentou conforme a demanda: das 20 bolsas iniciais, para as atuais 30. O investimento nestas bolsas será de R$ 450 mil.

 

De acordo com o presidente da Funarte, a grande novidade desta edição da Bolsa de Criação Literária é o incentivo a novos escritores. “Pela primeira vez, este edital será voltado exclusivamente para autores iniciantes. Com esta iniciativa, pretendemos estimular e democratizar o acesso ao fomento na área da literatura”, destaca.

 

Importante veículo de promoção da leitura e da literatura em regiões com menor acesso ao livro, a Bolsa de Circulação Literária, criada em 2010, terá em 2012 sua segunda edição e a expectativa é que o número de inscritos supere os quase 400 de dois anos atrás. O investimento nas bolsas de circulação será de R$ 800 mil.

 

O projeto, segundo o presidente da FBN, Galeno Amorim, é vital para alavancar os índices de leitura nas regiões apontadas como as mais frágeis pela pesquisa Retratos da Leitura. “Somente com o lançamento de ações afirmativas e focadas como a Bolsa de Circulação é que a Biblioteca Nacional, a Funarte e o Ministério da Cultura contribuirão de forma efetiva para a popularização da literatura de forma nacional”, avalia Galeno.

 

Quem pode concorrer
Estão habilitados a concorrer ao edital de Criação Literária pessoas físicas maiores de 18 anos, brasileiros natos ou naturalizados e estrangeiros residentes no país há mais de três anos e que tenham no máximo dois livros de sua autoria publicados com ISBN. Os projetos têm seis meses de prazo para serem realizados, e entre as 30 bolsas concedidas serão selecionadas até três obras para publicação via editora FBN.

 

Já para o edital de Circulação Literária, podem concorrer pessoas físicas maiores de dezoito anos, brasileiros natos ou naturalizados e estrangeiros residentes no país há mais de três anos. Os projetos deverão ser desenvolvidos no prazo de 06 meses, exclusivamente nos Territórios da Cidadania, e preferencialmente nas regiões Centro-oeste, Norte e Nordeste, apontadas pelo 3º Relatório Retratos da Leitura no Brasil como as de maior necessidade de investimento no fomento à leitura.

 

Fonte: Assessoria