Início Destaque Cedae se destaca com ação para ressocializar detentos no RJ

Cedae se destaca com ação para ressocializar detentos no RJ

Viveiro de plantas nativas tem como mão de obra presos do sistema penitenciário, Colônia Agrícola de Magé.
A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) recebeu no início de maio, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o Selo Resgata, pelo trabalho que realiza de inserção de apenados no mercado de trabalho. É a segunda vez consecutiva que a Cedae é contemplada com o prêmio. Cerca de 3 mil apenados já passaram pelo Programa “Replantando Vida”, instituído em 2008 e que atualmente disponibiliza 500 vagas de trabalho para diferentes tarefas na companhia.

– A premiação é concedida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, receber esse prêmio pela segunda vez é o reconhecimento de que o Estado valoriza o trabalho de ressocialização que implementados. Oferecer oportunidades de trabalho e ressocializar são os objetivos principais do programa. Convém destacar outras virtudes, como preparar essas pessoas para o mercado de trabalho, pois, para muitos apenados, o programa é o primeiro contato deles com o trabalho formal. Além disso, o projeto estimula a recuperação ambiental dos mananciais hídricos, principalmente dos rios Guandu e Macacu, responsáveis pelo abastecimento de água potável de todo o Grande Rio – destacou  Alcione Duarte, assessor de Programas Especiais da Cedae e responsável pelo Replantando Vida.

As ações direcionadas à recuperação ambiental estão relacionadas com o abastecimento de água potável para aproximadamente 14 milhões de usuários distribuídos entre vários municípios fluminenses. Os apenados que participam do programa também têm a oportunidade de exercer outras tarefas na empresa, como serviços de copa, limpeza e conservação de prédios, e produção de uniformes na oficina de costura da Companhia.

– Minha decisão de participar do programa foi pela necessidade de trabalhar, ter algum dinheiro, para ajudar a família e também para cumprir a pena trabalhando. O Replantando Vida me permitiu ter hoje uma profissão e deixo como resultado do meu trabalho milhares de árvores plantadas, junto com a valorização da vida e a compreensão da importância da natureza para a humanidade – afirmou J.B.F., 55 anos, que trabalha na Cedae em ações de reflorestamento e está cumprindo pena na Colônia Agrícola de Magé.

O Selo Resgata é uma ação para incentivar e reconhecer a responsabilidade social de empresas, órgãos públicos e empreendimentos de economia solidária em todo o País com a causa da ressocialização de egressos do sistema prisional. Hoje, a Cedae é a única empresa no estado do Rio a deter o Selo Resgata.

Replantando Vida

Os apenados que trabalham na Cedae são beneficiários de um convênio firmado entre a companhia e a Fundação Santa Cabrini (FSC), gestora do trabalho prisional no Estado do Rio de Janeiro. A capacitação é feita nos cursos com profissionais de referência, que envolvem professores universitários, mestres e doutores. Os apenados recebem remuneração pelo serviço prestado (salário mínimo nacional), auxílio para transporte e alimentação, como qualquer outro trabalhador, e ainda o benefício de redução de um dia de pena, a cada três dias trabalhados.