Início Plantão Rio Começam as obras do Corredor Transolímpico

Começam as obras do Corredor Transolímpico

Estrada do Guerenguê, em Jacarepaguá, será totalmente modernizada com projeto da Transolímpica

 

Começam nesta quarta-feira, 4 de julho de 2012, as obras que irão construir o corredor Transolímpico da cidade, ao todo serão26 quilômetros que ligarão o bairro de Deodoro à Barra da Tijuca através do corredor Transolímpico do BRT (Bus Rapid Transit) e farão mais do que encurtar o tempo de deslocamento dos atletas entre as instalações dos Jogos de 2016.

 

 

O projeto, que está entre os compromissos assumidos pela Prefeitura do Rio com o Comitê Olímpico Internacional (COI), prevê a duplicação de importantes vias, como a Avenida Salvador Allende e as estradas de Curicica e do Guerenguê, bem como a abertura de novos caminhos entre o Maciço da Pedra Branca com a construção de quatro túneis e novas ruas. O corredor seguirá o modelo de outros dois em construção – o Transoeste e o Transcarioca -, com vias de três pistas, cada – uma delas reservada aos ônibus articulados.

 

 

Além de facilitar a vida de motoristas e passageiros de ônibus, o BRT Transolímpica será integrado ainda aos trens da Supervia em Deodoro e Magalhães Bastos, criando uma opção hoje inexistente entre esses meios de transporte. Outro ponto de integração será no trevo entre a Estrada dos Bandeirantes e a Avenida Salvador Allende, por onde passará o BRT Transcarioca, ligação entre a Barra da Tijuca e o Aeroporto Internacional Tom Jobim.

 

 

Considerada a maior obra da cidade nos últimos 30 anos, o BRT Transolímpica vai criar novas vias e cortará os bairros da Barra e Recreio dos Bandeirantes, Camorim, Curicica, Taquara, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Vila Militar e Deodoro, beneficiando diretamente mais de 400 mil moradores da região, e se consolidando como uma opção à Linha Amarela para quem vive na Baixada Fluminense e nas regiões às margens da Avenida Brasil.

 

 

Como nos outros corredores BRT, o transporte dos passageiros será feito em ônibus articulados com capacidade para 160 passageiros ou mais, cada um. Todos os veículos – cerca de 60 – terão ar-condicionado, portas no lado esquerdo e piso elevado a 90 centímetros do solo, alinhado com as estações, que serão 18 entre a Barra e Deodoro, além de total acessibilidade a pessoas com deficiência.

 

 

Por onde passar, o BRT Transolímpica promoverá também a urbanização do entorno. Serão construídas pistas em nível, nove quilômetros de ruas marginais, calçadas largas e travessia prioritária de pedestres, além de ciclovias e bicicletários nas estações. A expectativa da Prefeitura é de que todas as obras fiquem prontas em 2015.

 

A previsão é que a obra esteja pronta até dezembro de 2015, sendo que ele contará com uma praça de pedágio que ficará situada na saída do Túnel Sulacap. Vale lembrar que a Salvador Allende não está incluída como na área onde será cobrada pedágio.
O valor da obra está orçado em R$ 1,55 bilhão, mas a tendência é que esse valor aumente, pois muitos dos imóveis que deverão ser desapropriados ainda não estão nessa conta. De acordo com o estudo preliminar divulgado pela prefeitura, serão desapropriados 143 imóveis em Magalhães, Bastos, 114 em Sulacap, 152 na Taquara, 402 da Estrada Outeiro Santo, 353 em Curicica e 24 no condomínio Bosque do Paradiso.

 

Fonte: Cidade Olímpica e fontes