Início Destaque Congresso Online “Genética não é Destino”  

Congresso Online “Genética não é Destino”  

Evento gratuito será realizado nos dias 29 e 30 de agosto com palestras sobre empoderamento e práticas inclusivas  

Estão abertas as inscrições para o congresso gratuito e online “Genética Não é Destino”, que será realizado nos dias 29 e 30 de agosto. O evento, organizado por Alex Duarte, criador do projeto, Cromossomo 21, terá como objetivo empoderar pessoas com todos os tipos de deficiência e/ou condição genética, além de eliminar crenças de impedimento e derrubar mitos e preconceitos em relação ao determinismo biológico. Tudo isso gratuitamente, com interação em tempo real, de forma inovadora e descontraída.

Para se inscrever, basta acessar o site http://www.geneticanaoedestino.org/ e preencher a ficha de inscrição.

O Congresso é uma realização dos projetos sociais Cromossomo 21 e Serendipidade, e da empresa Espaço Laser. A iniciativa vai reunir mais de 30 especialistas nas áreas da ciência, saúde, comportamento humano, empreendedorismo social e educação, que em suas práticas e pesquisas buscam abrir caminhos e construir estratégias inclusivas, instigando mudanças em nosso comportamento frente ao determinismo genético. Entre os nomes confirmados estão o Dr. Fernando Gomes, o Dr. Zan Mustacchi e Tânia Zambon, além de especialistas da inclusão como Ana Cláudia Brandão, a Dra. Carla Pinto e Carina Streda. Haverá ainda palestras com pessoas com deficiência como a atriz Juliana Caldas, Marcos Petry, Tathi Piancastelli e ainda a participação especial do escritor Fabrício Carpinejar e do ator Giovani Venturini.

Por muito tempo entendemos a nossa genética como um dado fixo, ou seja, determinado pela nossa constituição biológica. Hoje, a ciência revela que cada um de nós possui um mundo bioquímico particular, que responde a interferência de fatores como alimentação, estresse, atividade física e principalmente ao meio ambiente e fatores comportamentais. A genética não determina nosso destino, isso a ciência já constatou. Porém, o que ainda motiva as crenças e posicionamentos limitantes diante das pessoas com deficiência? “O estigma da incapacidade e o preconceito velado, ainda reforçam barreiras mentais e atitudinais para promover mudanças. Esse preconceito faz com que, familiares, educadores e sociedade civil invistam e acreditem menos no potencial das pessoas com deficiência, limitando o seu desenvolvimento e autoestima”, destacou Alex Duarte, Educador Social e criador do Congresso.

No último dia 10 de agosto, foi lançado o clipe da música “Destino”, que é tema do congresso. O vídeo da música, que é cantada por Babi Xavier e Alê Fontoura, veio acompanhado de um clipe que terá participações de muitos famosos, cada um na sua casa devido à pandemia do novo coronavírus. Entre os participantes do vídeo estão Alessandra Maestrini, a Bozena de “Toma Lá Dá Cá”, Helga Nemetick, que fez muito sucesso no programa “PopStar”, da TV Globo, e está escalada para a novela “Além da Ilusão”, Bela Fernandes (As Aventuras de Poliana), Danrley Ferreira (BBB 19), Giovani Venturini (Cúmplices de um Resgate), Luccas Luccas (Influenciador Digital), Robson Nunes (PopStar), Ronan Horta (Malhação) e Saulo Menegetti (Escrava Mãe). Link do clipe: https://www.youtube.com/watch?v=kotFbn1Hu-0

A produção da música é de Anderson Costa e a composição é de Alê Fontoura e Alex Duarte. Ele lançou o desafio de criar uma canção original com direito a videoclipe em meio a pandemia unindo pessoas com e sem deficiência para dar luz ao protagonismo e empoderamento neste tempo de confinamento. “Muitas pessoas com deficiência viveram uma vida inteira em quarentena. Esse clipe veio para mostrar o quanto desejamos pertencer nesta sociedade como protagonistas”, disse a atriz Juliana Caldas, que tem nanismo e foi destaque da novela “O Outro Lado do Paraíso”. Ela será uma das palestrantes do congresso.

“Genética Não é Destino” é uma proposta inovadora para a quebra de crenças, e uma oportunidade de identificar e romper posicionamentos limitadores diante das pessoas com deficiência. Vamos conhecer estratégias e novas pesquisas, incluindo a neurociência e estudos que documentam como as pessoas aprendem de formas diferentes, respeitando suas condições e individualidades. “A presença de um cromossomo a mais ou qualquer outra causa de deficiência física ou intelectual podem determinar características específicas, mas não definem a pessoa ou o seu destino”, ressaltou Juliana Caldas, atriz e ativista e que nasceu com nanismo.

O evento pretende trazer questionamentos sobre como é possível encontrar uma linha de mudança contra previsões da sociedade, prognósticos, código genético ou uma verdade científica.

SERVIÇO:
Congresso Online “Genética Não é Destino”
Data: 29 e 30/8/2020
Horário: Dia 29, das 13h às 18h; Dia 30, das 9h às 18h.
Custo: gratuito
Link para inscrição: http://www.geneticanaoedestino.org/