Início Plantão Rio Dia Mundial de Combate à Tuberculose

Dia Mundial de Combate à Tuberculose

A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC) inicia nesta semana uma série de atividades para celebrar o Dia Mundial da Luta Contra a Tuberculose (24 de março).

A programação começa hoje, às 8h, no Centro Municipal de Saúde Ariadne Lopes de Menezes, no Engenho da Rainha, com a apresentação teatral da Trupe da Amamu. Formada pelas mulheres da Associação de Mulheres do Morro do Urubu (Amamu), a trupe apresenta teatro mudo mostrando os sinais e sintomas da tuberculose. Nos outros dias da semana, todos os setores da unidade farão queixa induzida e distribuição de folders sobre a doença, e no sábado, dia 27, das 8h às 12h, a trupe faz nova apresentação especial.

Ainda dentro das comemorações, a SMSDC participa, no dia 24 do Fórum Estadual das ONGs na Luta Contra a Tuberculose, que será realizado na Praça Floriano, na Cinelândia, das 9h às 15h. O ato público em memória às vítimas da tuberculose tem como objetivo informar, conscientizar e alertar a população sobre a importância da prevenção e tratamento da doença.

Entre as ações que serão apresentadas está o Programa de Controle da Tuberculose (PCT) da SMSDC, que articula ações de vigilância, prevenção e assistência e promove o acesso ao diagnóstico precoce e as condições necessárias para a cura. Como o tratamento completo é a única forma de cura da doença, o PCT utiliza a Estratégia de Tratamento Diretamente Observado (Dots) para diminuir o abandono e a resistência às medicações. Através do Dots os profissionais de saúde devem observar o paciente tomar os medicamentos desde o início do tratamento até a cura.

Com a proposta do Programa Saúde Presente de expansão da cobertura da Estratégia de Saúde da Família (ESF) o Dots irá alcançar um maior número de pessoas. E este ano também marca a mudança do regime terapêutico que passará a adotar o esquema de quatro drogas, de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde.

A tuberculose é uma doença dos grandes centros urbanos, pois sua transmissão ocorre pelo ar e é facilitada por grandes concentrações de pessoas e ambientes com pouca ventilação. Seus principais sintomas são tosse persistente, febre, suor noturno, falta de apetite e emagrecimento. O diagnóstico é feito através do exame do escarro e o tratamento consiste no uso de medicamentos sem interrupção por, no mínimo, seis meses. Manter uma boa ventilação em casa, deixando as janelas abertas para o ar circular e permitindo a entrada do sol são medidas que diminuem a contaminação entre as pessoas. 
 

Fonte: Prefeitura do Rio