Início Plantão Brasil Dilma diz que Minha Casa deve atingir quase 7 milhões de moradias...

Dilma diz que Minha Casa deve atingir quase 7 milhões de moradias até 2018

 

Presidenta Dilma Rousseff cumprimenta a senhora Cátia Rodrigues, contemplada no Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá. Foto: Ichiro Guerra/PR

Os investimentos do governo no Minha Casa, Minha Vida (MCMV) serão preservados e mantidos até 2018, afirmou a presidenta Dilma Rousseff na sexta-feira, dia 31 de julho, em Maricá (RJ), ao inaugurar 2.932 unidades habitacionais dos residenciais Carlos Marighella e Carlos Alberto Soares de Freitas, construídas por meio do programa. Ela disse que a meta é chegar a quase 7 milhões de moradias até 2018, o que significaria dobrar o tamanho do programa.

 

 

 

“O Minha Casa, Minha Vida vai continuar, e vamos, sim, contratar a construção de mais três milhões de unidades. O Mais Médicos vai continuar e o governo federal manterá sua parceria com os municípios, pagando o salário dos médicos, para que vocês possam ser cada vez mais bem atendidos nos postos de saúde. Aliás, para Maricá vieram 14 médicos que, tenho certeza, estão ajudando a melhorar a qualidade da atenção à saúde no município”, disse na oportunidade.

 

 

 

A presidenta afirmou que o governo está comprometido com o Minha Casa, Minha Vida por vários motivos, inclusive porque ele faz girar a roda da economia. E que, hoje, o Brasil está fazendo um grande esforço para voltar a crescer, o que torna o Minha Casa, Minha Vida ainda mais importante.

 

 

 

“Ficam falando assim: ´estamos passando por dificuldades econômicas, o programa vai acabar’. Não vai, não. Primeiro, porque é importante para aquela parte do povo brasileiro que não tinha oportunidades e para quem ninguém olhou. Mas aqui, além de a gente construir casa, cria emprego. Houve trabalhadores e trabalhadoras que construíram essas casas junto com os empresários”.

 

 

 

Ela lembrou que a construção das casas movimenta vários setores da economia, como fabricantes de tijolos, cimento e alumínio. “Cada uma dessas partes também contrataram pessoas, criaram empregos, pagaram salários, geraram renda e fizeram a roda girar, a roda da economia. Porque aí, as pessoas quando têm trabalho, quando têm renda, vão lá, compram lá no supermercado, lá na loja. E aí a roda continua girando. Por isso, não há hipótese do Minha Casa, Minha Vida não continuar. Nós iremos fazer, sim, o Minha Casa, Minha Vida 3”.