Início Plantão Brasil Empresa que salva PMEs da falência vê aumento de demanda

Empresa que salva PMEs da falência vê aumento de demanda

A atual situação da economia brasileira merece a atenção dos gestores e estrategistas das empresas. A economia se retrai e gera conjunturas desfavoráveis que afetam, de modo direto e indireto, a gerência de milhares de empresas, ameaçando a sua sobrevivência e sua gestão. É necessária muita atenção na hora de analisar a recuperação de uma empresa, e apenas especialistas em gestão de crise e planejamento podem avaliar exatamente quais os riscos possíveis a fim de mitigá-los.

 

 

A Artur Lopes & Associados, consultoria na recuperação e consolidação de negócios, pode ser considerada a empresa que salva outras empresas de crises. Segundo Artur Lopes, advogado e consultor de gerenciamento, é um novo nicho que está crescendo no mercado, o de empresas focadas no plano de negócios e avaliação de riscos para a recuperação e consolidação de negócios.

 

 

“Nosso principal objetivo é evitar a derrocada de empresas e seus negócios. No momento atual de instabilidade, é muito importante uma empresa poder nos identificar como o meio de conseguir a recuperação na hora que entra em crise”, diz Lopes.

 

 

Para o consultor, a vida das empresas é desafiada também por episódios circunstanciais, tais como “modificação de tendências de consumo, modernização dos produtos ou meios de produção, imobilização de recursos, ausência de capacidade gerencial e/ou má administração, ingresso de novos concorrentes no mercado, entre outros”. Muitos são os fatores que podem dar fim à tranquilidade financeira de uma companhia e a Artur Lopes & Assessoria atua no auge do problema.

 

 

Quando o caos já está instalado na empresa, é importante ter uma visão parcial do problema. Os especialistas da equipe permanecem então alocados na empresa em questão a fim de reorganizar o plano operacional, em todas as esferas – desde as áreas financeiras e econômicas até os recursos humanos. Com a correta interpretação dos problemas que deram origem à crise e dos que a sucederam, o processo produtivo é entendido como um todo e, se bem ajustado, permite modificações estruturais que vão consolidar os negócios e até ampliar seu potencial.

 

 

Lopes conta que o trabalho de consultoria de crise envolve muita informação e detalhes. “Como somos especializados nesse tipo de gerenciamento e recuperação, nosso trabalho vai além das questões econômicas na gestão de crise. O processo tem uma duração de 6 a 12 meses e as metas iniciais do trabalho são obviamente evitar a quebra e, posteriormente, consolidar o processo de recuperação com a implementação de ferramentas gerenciais, controles e instauração de uma nova cultura organizacional.” De acordo com o consultor, essas três fases – recuperação, consolidação e ampliação – costumam demorar em média 4 meses cada uma.

 

 

Assessoria