Início Plantão Rio Encontro avalia tuberculose

Encontro avalia tuberculose

As diversas ações e iniciativas brasileiras contra a tuberculose, um dos principais problemas de saúde pública do País, são os focos do IV Encontro Nacional de Tuberculose e do I Fórum da Parceria Brasileira contra a Tuberculose, que abriram nesta quarta-feira (26), às 19h, no Hotel Windsor Guanabara, no Rio de Janeiro. Os eventos, que se estendem até o dia 29, oferecem um espaço para o debate e a troca de experiências entre diversas instituições parceiras do Ministério da Saúde sobre pesquisas e medidas de controle e prevenção da doença. Entre essas entidades estão a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, a Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose e a Parceria Brasileira Contra a Tuberculose, todas integrantes da comissão organizadora do evento.

Também estarão presentes os gestores de programas estaduais e municipais de tuberculose de todo o País e convidados internacionais. O ex-presidente de Portugal Jorge Sampaio, atual embaixador da Organização das Nações Unidas (ONU) para as questões de tuberculose, fará a palestra de abertura do evento.

Embora ainda represente um importante problema de saúde, houve melhora nos indicadores da doença no Brasil. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados pelo Ministério da Saúde por ocasião do Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose, em 24 de março 2010, mostram que o País melhorou sua posição na lista das 22 nações que concentram 80% dos casos da doença no mundo, passando da 18ª para 19ª. Em 2008, ocorreram 70.989 casos novos, contra 72.140, em 2007. Consequentemente houve queda na taxa de incidência, que passou de 38,1 para 37,4 por 100 mil habitantes. Houve queda também nos números da mortalidade. Em 2008, foram 4.735 óbitos por tuberculose, enquanto que em 2007 ocorrem 4.823.

Mesmo com a melhora de indicadores, o controle da tuberculose oferece desafios como a ampliação da oferta de diagnóstico e a garantia do tratamento oportuno e com a duração adequada, que é de seis meses. Quando o paciente interrompe o uso do medicamento ele não só permanece com a doença como mantém a cadeia de transmissão e, ainda, pode desenvolver resistência ao tratamento. Outra barreira a ser vencida na luta contra a tuberculose são o estigma e o preconceito, que dificultam o diagnóstico, o tratamento e a cura da doença.

CONSOLIDAÇÃO – Assim como nas três edições anteriores do Encontro Nacional de Tuberculose, em 2010 o evento reunirá profissionais de diferentes áreas e proporcionará a atualização em temas relacionados ao controle da doença. Em debate estará o controle da doença relacionado ao diagnóstico e ao tratamento oportunos, bem como a rede de unidades e de serviços de referência existente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Também entraram na pauta deste ano novos estudos clínicos e os esquemas terapêuticos, a necessidade de ações para a redução da coinfecção entre tuberculose e HIV, e o debate sobre questões relativas ao controle social, que requer o envolvimento e a mobilização da sociedade nas iniciativas que visem à prevenção da enfermidade.

Além de reunir profissionais brasileiros, os eventos contarão com as presenças de convidados de diferentes universidades estrangeiras (Harvard, John Hopkins, Berkeley, McGill, Stellenbosch, entre outras), Fundação Gates e agências internacionais (Stop TB Partnership, United State Agency for International Development, Manegement Sciences for Health, Organização Pan-Americana de Saúde e Organização Mundial de Saúde).

Pelo perfil dos participantes e dos temas em discussão, desde a primeira edição, em 2004, o Encontro tem-se consagrado como o principal evento nacional voltado para a tuberculose, especialmente para os gestores do SUS. Este ano, durante o evento, será realizada uma reunião entre o MS e os coordenadores de programas de controle da doença dos 26 estados e do Distrito Federal, e de representantes dos 181 municípios prioritários para o PNCT. Além de avaliar ações, na ocasião haverá a premiação dos programas que tiveram os melhores desempenhos no controle da doença.

Para os gestores federais, estaduais e municipais, um dos principais aspectos considerados prioritários para o enfrentamento da doença é a necessidade de se lutar contra o estigma e o preconceito que rondam os portadores da tuberculose e que impedem o diagnóstico e tratamento precoces. Os medicamentos estão disponíveis nas unidades de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS); são gratuitos e um direito de todos os cidadãos; são eficazes e curam, quando tomados de forma adequada durante os seis meses de tratamento.

Conferira as programações completas do IV Encontro Nacional de Tuberculose e do I Fórum da Parceria Brasileira contra a Tuberculose no site http://www.sbpt.org.br/tb2010/.

IV Encontro Nacional de Tuberculose / I Fórum da Parceria Brasileira Contra a Tuberculose
Data: 26 a 29 de maio de 2010
Local: Hotel Windsor Guanabara
Endereço: Avenida Presidente Vargas, 392 – Centro – Rio de Janeiro – RJ
 
 

 

Fonte: Assessoria