Início Plantão Mundo Filme francês vence o 65º Festival de Cannes

Filme francês vence o 65º Festival de Cannes

O diretor austríaco Michael Haneke ganhou a Palma de Ouro, principal prêmio do 65º Festival de Cannes, na França. O anúncio ocorreu sob chuva e muitos aplausos. O diretor venceu com o filme Amour (Amor, em português). Pela segunda vez, ele foi premiado. Haneke é conhecido pelo filme O Pianista, mas em 2009, ele recebeu a Palma de Ouro pelo longa A Fita Branca.

 

Em discurso emocionado, Haneke agradeceu aos jurados e aos atores Emanuelle Riva, de 85 anos, e Jean-Louis Trintignant, 81, que interpretam um casal de idosos que enfrentam juntos a grave doença da mulher. Ao entregar o prêmio, o presidente do júri, Nanni Moretti, ressaltou que a interpretação dos atores foi fundamental para o sucesso do filme. O casal subiu ao palco com o diretor para receber o prêmio.

 

 

No filme, Emanuelle Riva e Jean-Louis Trintignant interpretam um casal que se ama e mantém a cumplicidade. Os dois pouco se comunicam verbalmente, mas se entendem. Porém, essa relação é abalada quando a mulher fica gravemente doente.

 

 

Amour (o nome do filme em francês) ocorre em um apartamento em Paris e retrata a deterioração acarretada pela velhice, refletindo com compaixão a dor de assistir à doença e à morte. “Quando se chega a uma certa idade, o sofrimento inevitavelmente te comove. É tudo o que queria mostrar, nada mais”, disse Haneke.

 

 

Nas demais premiações, a melhor interpretação feminina foi dividido entre Cosmina Stratan e Cristina Flutur, pela atuação delas em Post Lux Tenebras (em português, Mensagem à Luz das Trevas). Mads Mikkelsen foi escolhido como melhor ator pela interpretação em Hunt, de Thomas Vintenberg.

 

 

O melhor roteiro ficou com o romeno Cristian Mungiú, que dirigiu o filme Beyond The Hills (Atrás das Colinas, em português) e a melhor direção com o mexicano Carlos Reygadas, com o filme Post Lux Tenebras (em português, Mensagem à Luz das Trevas). O Grande Prêmio ficou com Mattheo Garone, com Reality, e o Prêmio do Júri com Ken Loach, com Angels’s Share (em português, A Parte dos Anjos).

 

 

No último dia 22, o cineasta brasileiro Nelson Pereira dos Santos, de 84 anos, foi aplaudido de pé pela plateia após a exibição do filme, dirigido por ele, A Música segundo Tom Jobim.

 

 

A homenagem a Santos ocorreu no momento em que o Brasil foi escolhido pela direção do festival como convidado de honra desta edição. O filme foi feito em parceria com Dora Jobim, neta de Tom.

 

Fonte: Agência Brasil