Início Plantão Rio Governo trabalha para minimizar efeitos da chuva na Região Serrana

Governo trabalha para minimizar efeitos da chuva na Região Serrana

 

O secretário de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, coronel Sérgio Simões, está em Teresópolis para coordenar as ações depois da forte chuva que atingiu a cidade na madrugada de sábado (7/4) e provocou a morte de cinco pessoas. O governador Sérgio Cabral determinou todo o apoio às ações, disponibilizando máquinas do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e da Secretaria de Obras para auxiliar o trabalho. O Corpo de Bombeiros enviou 30 homens que atuam na capital para reforçar a equipe, que agora conta com 150 militares.

 

Até a manhã deste sábado, cinco corpos foram resgatados. Entre eles, estão o de uma adolescente de 14 anos, dois homens e duas mulheres. Segundo a Polícia Civil, todos já passaram por necropsia e aguardam familiares para liberação. Os efetivos do Instituto Médico Legal e do Instituto Félix Pacheco também foram reforçados.

 

O coronel Sérgio Simões se reuniu com o prefeito Arlei Rosa para definir ações emergenciais, como assistência à população desalojada, limpeza da cidade e assistência funeral. Após um sobrevoo, Simões e o presidente da Empresa de Obras Públicas (Emop), Ícaro Moreno Júnior, que também está na cidade, avaliarão as condições das áreas afetadas.

 

A Defesa Civil estadual enviou 600 colchonetes, lençóis e cobertores ao município, além de um carro-pipa do Corpo de Bombeiros, com 30 mil litros de água para auxiliar na limpeza das ruas. Em parceria com a prefeitura, a instituição está convocando voluntários e solicitando a doação de cestas básicas, colchonetes e roupa de cama. Até o momento, não há problemas com o abastecimento de água, mas equipes da Cedae estão de plantão monitorando as redes para evitar qualquer falha.

 

O subsecretário de Estado para a Reconstrução da Região Serrana, Affonso Monnerat, trabalha na mobilização de mais máquinas e equipamentos de limpeza. O trabalho será auxiliado por funcionários da Comlurb. Quatro geólogos do Departamento de Recursos Minerais (DRM) foram enviados para a região para orientar os trabalhos.

 

Em Nova Friburgo, também atingida pela chuva, as equipes da Defesa Civil continuam monitorando toda a região. Nas últimas 24 horas, o volume de precipitação ficou entre 40 e 90mm. O esperado para todo o mês de abril era de 72,3mm.

 

O Inea emitiu alerta máximo para alguns rios, que transbordaram devido ao grande volume de chuva. No entanto, as cheias não representaram risco de morte. Um pequeno deslizamento foi registrado na RJ-142, que liga os distritos de Mury a Lumiar, além da queda de uma árvore. A via ficou em meia pista para que bombeiros do 6º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM) pudessem retirar a lama e liberar a passagem de veículos.

 

Algumas ruas ficaram alagadas devido ao entupimento de bueiros, mas a situação é de normalidade. Homens da prefeitura atuam na limpeza dos locais mais afetados pela cheia dos rios.

 

Confira no documento em anexo os endereços dos pontos de apoio – locais para onde os moradores são levados em caso de emissão de alerta pelas sirenes.

 

Fonte: Governo do Rio