Início Cultura Homenagens na 7ª edição da Mostra Tiradentes, SP

    Homenagens na 7ª edição da Mostra Tiradentes, SP

    O primeiro dia da 7ª edição do evento foi marcado pela homenagem à atriz Luciana Paes, teve performance artística e foi realizada a pré-estreia nacional do longa “Vermelha”, vencedor da Mostra Aurora da 22ª Mostra Tiradentes seguido de bate-papo com o diretor.

    Na sexta-feira, 29 de março, o público da capital paulista poderá conferir as diferentes facetas de Luciana Paes nos filmes da Mostra Homenagem. Destaque também para a pré-estreia nacional do longa “A Rosa Azul de Novalis”, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro

    “Uma janela para o mundo”. A expressão utilizada pelo gerente geral do CineSesc, Gilson Packer, em seu discurso na abertura da 7ª edição da Mostra Tiradentes | SP bem descreve a noite inaugural e o que se espera da programação do evento do cinema brasileiro na capital paulista, que este ano é norteado pela temática “Corpos Adiante”. Temas urgentes e pertinentes como discriminação, resistência e liberdade cultural e dos corpos estiveram presentes em diversos momentos do primeiro dia (28/03) da itinerância paulista da Mostra Tiradentes, que incluiu performance audiovisual, homenagem à atriz Luciana Paes, exibição do filme vencedor da Mostra Aurora “Vermelha”, de Getúlio Ribeiro, e bate-papo com o diretor.

    Grande destaque da cerimônia de abertura, a homenagem à atriz Luciana Paes foi marcada por falas fortes e descontraídas captadas em entrevista especialmente para o evento e transmitida na ocasião. O troféu Barroco foi entregue das mãos de seu amigo de longa data, o ator e diretor Otávio Dantas, que relembrou a trajetória da atriz, cuja primeira formação é em Publicidade. Emocionada, a homenageada agradeceu o reconhecimento: “Eu amo o que eu faço e amo as pessoas que eu encontrei pelo caminhos, nas salas de ensaio e nos sets. Cada vez mais o tempo passa e eu pergunto: ‘quem vai esperar comigo?’. Porque o fim é legal, mas quem vai esperar comigo?. Cada vez mais eu entendo que a vida é quem a gente encontra no caminho. Muito obrigada, me sinto muito honrada, de verdade”.

    Antes disso, a noite começou emocionante com a forte apresentação musical da mineira Josi Lopes, que encantou o público que encheu o CineSesc para a cerimônia de abertura, cantando a sua negritude. Na sequência, o gerente do CineSesc foi à frente para seu discurso de abertura, que reforçou a importância da Mostra Tiradentes| SP, que traz para São Paulo um panorama do que é cinema brasileiro contemporâneo, transformando “a portinha na Rua Augusta em uma janela para o mundo”. “A nossa ideia é trazer uma programação que abra e amplie as possibilidades de discussão e de visões. Mostras como esta são mais do que pertinentes, porque você consegue trazer este diálogo para um público que raramente vai poder acessar essas obras”, explica Gilson Packer.

    Outro ponto alto foi o discurso de boas vindas da coordenadora geral da Mostra Tiradentes e diretora da Universo Produção, que destacou a temática desta edição: “Consolidado como o evento do cinema brasileiro na capital paulista, a Mostra Tiradentes | SP chega à sua 7ª edição norteada pela temática ‘Corpos Adiante’ – um espaço privilegiado para a revelação, a renovação, a possibilidade de reunir os diversos modos de fazer e pensar o cinema. Corpos que falam, corpos em risco, corpos que gritam. Um convite à inquietação – um estado de união – para que juntos possamos enfrentar esse desconforto da atual conjuntura socio-cultural.

    A programação de abertura oferecida gratuitamente ao público completou-se com vigorosa apresentação da atriz Rejane Farias, em monólogo emocionante do diretor da performance Chico de Paula, baseado na temática “Corpos Adiante”. A noite se encerrou com pré-estreia nacional do longa “Vermelha”, de Getúlio Ribeiro, vencedor da Mostra Aurora da 22ª Mostra Tiradentes, seguido de bate-papo com o diretor e o montador Luciano Evangelista, no qual o público pôde discutir o filme e conhecer mais sobre o processo e curiosidades da produção.