Início Plantão Rio Hospital da Mãe é inaugurado na Baixada Fluminense

Hospital da Mãe é inaugurado na Baixada Fluminense

 

 

Nove mil consultas e cerca de 700 partos por mês. Essa é a capacidade estimada de atendimento do Hospital da Mãe, inaugurado ontem em Mesquita, na Baixada Fluminense. Com foco no acompanhamento completo das grávidas, desde o pré-natal até o parto, a nova unidade tem 70 leitos de internação e oito leitos de UTI neonatal, além de centros cirúrgicos. Ao todo, o Governo do Estado investiu R$ 23 milhões em obras e equipamento.

 

 

Após visitar as instalações da unidade, o governador Sérgio Cabral destacou que o Hospital da Mãe representa um avanço na área de saúde da Região Metropolitana.

 

 

– Esse hospital dará dignidade às mães do Rio de Janeiro, especialmente da Baixada Fluminense, onde ainda há déficit de leitos. A mulher terá acompanhamento em toda a evolução da gravidez. O Hospital da Mãe é a maior maternidade do estado – afirmou Cabral, que anunciou também a inauguração de duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em julho, uma em Mesquita e outra em Itaboraí.

 

 

O Hospital da Mãe está preparado para atender casos de baixa e média complexidades. Metade da capacidade de atendimento será destinada às moradoras de Mesquita enquanto a outra metade atenderá as grávidas de outros municípios. Impressionado com a construção, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que as mães terão uma gravidez mais tranquila no novo hospital, que integra a Rede Cegonha, estratégia do governo federal voltada para a humanização no atendimento a grávidas e recém-nascidos.

 

 

– No Hospital da Mãe, as grávidas vão ter um parto com qualidade e o Rio de Janeiro ganha muito – disse Padilha, acrescentando que o ministério vai destinar R$ 5 milhões por ano para a manutenção da unidade.

 

 

 

Atendimento perto de casa

 A jovem Beatriz da Silva dos Santos, de 17 anos, comemorou o fato de poder realizar o parto perto de casa.

 

– Estava preocupada pensando em que maternidade teria o meu bebê. Se não tivesse esse hospital, eu teria de fazer o parto fora de Mesquita. Aqui, eu vou ter todo apoio – disse a jovem que está no sétimo mês de gestação.

 

Fonte: Governo do Rio