Início Plantão Brasil Inflação pelo IGP-DI diminui para 0,07% em fevereiro

Inflação pelo IGP-DI diminui para 0,07% em fevereiro

 

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) diminuiu para 0,07% em fevereiro. Um mês antes, a taxa havia ficado em 0,3%. Com esse resultado, divulgado hoje (7) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o indicador acumula em 12 meses alta de 3,38%, e de 0,37% no ano.

 

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do IGP-DI, ficou em -0,03%, taxa inferior à de janeiro (0,01%). Contribuíram para a queda as matérias-primas brutas (de -0,34% para -0,64%), principalmente milho em grão (de 8,88% para 1,67%), soja em grão (de 3,74% para -0,09%) e café em grão (de 0,72% para -5,43%).

 

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que contribui com 30% da taxa global, também diminuiu ao passar de 0,81% em janeiro para 0,24% em fevereiro. O resultado foi influenciado pelo grupo educação, leitura e recreação, cujos preços subiram com menos força entre os dois meses (de 4,9% para 0,03%). Pesaram menos no bolso do consumidor os cursos formais (de 8,16% para 0,03%).

 

Também ficaram mais baratos ou subiram com menos intensidade os preços de alimentação (de 0,47% para -0,02%), com destaque para hortaliças e legumes (de 6,11% para -4,32%); transportes (de 0,86% para 0,31%), tarifa de ônibus urbano (2,6% para 0,73%); despesas diversas (de 0,46% para 0,16%), especialmente alimentos para animais domésticos (2,6% para 0,08%); e saúde e cuidados pessoais (de 0,44% para 0,42%), com a influência de psicólogo (0,92% para 0,36%).

 

Por outro lado, os grupos vestuário (de -0,35% para 0,02%) e habitação (de 0,33% para 0,53%) registraram acréscimo em suas taxas de variação.

 

O grupo comunicação, que passou a fazer parte da estrutura do IPC a partir deste mês, registrou variação de 0,04%, tendo como principal influência o item tarifa de telefone residencial, cuja taxa passou de 1,28% para 0,03%.

 

Responsável por 10% do IGP-DI, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) também ficou menor em fevereiro, ao passar de 0,89% em janeiro para 0,3% em fevereiro. Subiram com mais vigor os preços de materiais, equipamentos e serviços (de 0,45% para 0,5%), mas o custo da mão de obra diminuiu ao passar de 1,34% para 0,1% de um mês para o outro.

 

 

Fonte:  Lílian Beraldo