Início Plantão Barra Interventor do BRT diz que Prefeitura pode acionar Procuradoria

Interventor do BRT diz que Prefeitura pode acionar Procuradoria

O interventor do BRT no Rio, Luiz Alfredo Salomão, explicou que os pagamentos ao BRT estão suspensos no momento porque a instituição repassadora dos recursos, o Banco Itaú, não aceitou dados do decreto municipal que determinou a intervenção no sistema: “Não temos representantes legais do BRT reconhecidos pelo banco, que não aceitou os dados do decreto. Nós, então, procuramos eleger novos representantes em uma assembleia geral”, disse Salomão.

 

 

 

Apesar disso, Salomão afirmou que os empresários e as operadoras do consórcio que controlava o BRT se recusaram a votar a aprovação dos nomes escolhidos: “Fomos ao Banco Itaú e dissemos que os novos representantes são aqueles que eu indiquei. Se eles não acatarem isso, nós pretendemos obter uma ordem judicial para que sejam obrigados a aceitar”, disse Salomão.“Ou o Itaú aceita as nomeações que nós fizemos (na sexta-feira passada, 15 de março), ou a Procuradoria Geral do Município vai tentar obter uma ordem judicial para que banco seja obrigado a fazer isso”, esclareceu.

 

 

 

Assim, será possível fazer os repasses ao BRT, mas “não assinado pelo ex-presidente (do consórcio que controlava o sistema), que já foi afastado e não tem mais legitimidade”, esclareceu o interventor.

 

 

Recuperação do BRT Transoeste

Salomão também falou sobre as ações da Intervenção para resolver problemas detectados no sistema BRT, como os calotes de passageiros, o estado de conservação do corredor Transoeste, a falta de veículos e a superlotação dos ônibus: “A Guarda Municipal, munida das maquininhas, está multando os cidadãos que insistem em viajar sem pagar, entrando pela frente da estação. Já foram aplicadas mais de 600 multas”, disse.

 

 

Em relação à recuperação da pista do corredor Transoeste, foram identificados os trechos em péssima conservação: “Esses trechos estão sendo fresados, o que significa retirar o asfalto velho instalado e colocar uma nova capa. Isso já foi feito em algumas estações e vai continuar no sentido de Santa Cruz”, afirmou.

 

 

 

Para enfrentar a falta de ônibus e a superlotação, Salomão explicou que a Intervenção está fazendo uma fiscalização para apurar a situação. Serão avaliados quantos e quais ônibus estão disponíveis para operar, assim como quantos estão nas garagens das empresas por problemas de manutenção.

 

 

 

“Vamos discutir se faremos uma auditoria mecânica, para saber se esses ônibus estão realmente impedidos de operar, ou se há uma forma disfarçada de locaute das empresas”, disse Salomão.

 

 

“O fato é que a frota disponível das empresas está caindo e, por consequência, a lotação dos ônibus está aumentando, e o desconforto, idem”, apontou o interventor.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here