Início Cultura Investir no cuidado é investir no bem-estar coletivo

Investir no cuidado é investir no bem-estar coletivo

Ivana Portella, respeitada personal organizer, é hoje a principal voz na abordagem desse tema. Através da organização, ela não apenas transforma espaços físicos, mas também conscientiza sobre a importância da economia do cuidado.

Com uma visão abrangente sobre o tema, Ivana explora de forma profunda o conceito da economia do cuidado, proporcionando uma compreensão holística de seu impacto nos negócios e na sociedade. “Investir no cuidado é investir no bem-estar coletivo, é reconhecer a importância de cuidar uns dos outros para construir uma sociedade mais equitativa”, destaca a personal organizer.

A integração da economia do cuidado nas práticas de negócios é apresentada como um caminho para inovações sustentáveis, gerando um impacto positivo a longo prazo. Outro ponto destacado por ela traz a cultura do cuidado sendo apresentada como impulsionadora do engajamento dos funcionários, criando ambientes de trabalho positivos e produtivos. Isso gera lealdade do cliente, pois as empresas centradas no cuidado cultivam uma relação mais forte, promovendo uma base duradoura de clientes. “E uma mentalidade centrada no cuidado aumenta a resiliência empresarial, ajudando as empresas a enfrentar desafios de maneira mais eficaz”, observa a organizadora.

Empresas que incorporam a economia do cuidado não apenas buscam sucesso nos negócios, mas também se tornam agentes de transformação social. Ao contribuírem de maneira mensurável e significativa para suas comunidades, essas organizações transcendem o papel tradicional no mercado, assumindo uma responsabilidade social que vai além dos lucros.

Essa abordagem centrada no cuidado não apenas aprimora a reputação da marca, mas também molda a percepção pública das empresas, destacando-as como entidades socialmente responsáveis e éticas. Além disso, os benefícios se estendem à qualidade de vida, não apenas dos funcionários internos, mas de toda a comunidade ao redor.

A Economia do Cuidado, sob a liderança de Ivana Portella, emerge como um paradigma não apenas econômico, mas social, criando um impacto transformador que reverbera além dos limites empresariais.

Alguns Dados Impactantes 7 milhões de mulheres são trabalhadoras domésticas. 93% das trabalhadoras domésticas na América Latina e Caribe são mulheres. A amamentação ocupa 650 horas de trabalho nos primeiros seis meses de vida. Por semana, as mulheres gastam 61 horas em atividades não remuneradas.

O trabalho de cuidado não pago das mulheres equivale a 10,8 trilhões de dólares, apenas 4 economias no mundo ficam acima desse valor. O trabalho de cuidado não pago feito por mulheres representa uma economia 24 vezes maior do que a do Vale do Silício.

Ivana Portella
É uma renomada Personal Organizer, Professional & Life Coach, e coautora dos livros “Mulheres que transformam Mulheres” e “A Chave da Prosperidade”. Ela se consolida como a referência quando o tema é a economia do cuidado. Ao destacar a importância da organização, Ivana não apenas transforma ambientes físicos, mas também promove uma reflexão sobre a necessidade de cuidado em todos os aspectos da vida.