Início Plantão Rio Jovem finaliza estudo sobre poluição ambiental

Jovem finaliza estudo sobre poluição ambiental

Aos 15 anos, Henrique Bergallo Rocha colhe os bons frutos de uma iniciativa de causar inveja aos mais crescidinhos. Filho de ambientalistas, Bergallo colocou em prática os ensinamentos dos pais.
Preocupado com o aquecimento global, o jovem calculou a poluição de sua própria escola, o CIEI (Centro Internacional de Educação Integrada), no Recreio. Esse pioneirismo inovador inspirou a empresária Marcia Bitencourt, dona da única franquia carioca da grife francesa Petit Bateau, no Rio Design Barra, a seguir o exemplo do CIEI, e a chamar Henrique para repetir a façanha científica.
Utilizando dados relativos ao transporte de ida e volta dos funcionários, consumo de eletricidade, transporte naval e terrestre das mercadorias importadas da França, o jovem fez as contas e chegou aos seguintes números: 19.589,91011 Kg (19,5 toneladas) de Dióxido de Carbono que a empresa produz anualmente. 
 
Vilão
O consumo de eletricidade foi o responsável pela maior parte da emissão de CO2, totalizando 16 toneladas ou 28 árvores.
 
Para neutralizar as emissões de CO2, a Petit Bateau precisa plantar 33 árvores por ano.  Como a franquia foi lançada em 2007, Marcia decidiu zerar espontaneamente o passivo ambiental e plantar não apenas 33, mas 99 mudas arbóreas, que equivalem a cerca de 2800 mudas de vegetação de restinga. 
E, para não perder tempo, Marcia agendou para a manhã do próximo dia 3 de dezembro, às 10h, no canteiro da prefeitura na Avenida Lúcio Costa, entre o quiosque 106 e o Posto 10, o plantio das mudas. Participarão da ação menores carentes matriculados na Ong Organização Surfe do Brasil – O’Surfe – e filhos de clientes da loja, em uma ação concreta e prática de integração social e conscientização ambiental. “Achamos muito interessante e criativo o trabalho desse jovem. Por isso, pedimos que ele calculasse a poluição de nossa loja para que pudéssemos fazer a nossa parte ajudando o meio ambiente”, afirmou Marcia.

Segundo a engenheira civil Ana Muralha, da Secretaria do Meio Ambiente, a vegetação de restinga tem alto poder de sequestro de carbono. “A proteção das mudas num canteiro com mourões, todo cercado de arame e com placas de sinalização adequadas é uma forma de engajar banhistas e moradores na luta pela preservação do planeta. A iniciativa da loja Petit Bateau e do CIEI é um exemplo a ser imitado por empresas e cidadãos”, comentou Ana.  

“Tenho uma forma técnica para chegar ao resultado. Espero que a minha idéia se multiplique. De muda em muda, podemos criar uma floresta de transformações que vai mudar a face do planeta e garantir o futuro da humanidade e de todas as espécies que habitam a Terra”, acredita Bergallo.
Henrique Bergallo Rocha foi o mais jovem expositor da maior reunião mundial sobre biodiversidade e meio ambiente, o 23º Encontro Anual da fundação americana Sociedade para a Conservação da Biodiversidade (Society for Conservation Biology), na China, em julho, quando apresentou o trabalho feito para o CIEI. 

 

 

Fonte: Assessoria