Início Plantão Brasil Lançada a terceira edição da Olimpíada de Língua Portuguesa

Lançada a terceira edição da Olimpíada de Língua Portuguesa

Foram abertas as inscrições para os professores interessados em participar da terceira edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, lançada em São Paulo, pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

 

Desenvolvida em parceria entre o Ministério da Educação e a Fundação Itaú Social, e a coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), a Olimpíada de Língua Portuguesa tem o objetivo de estimular e aprimorar a didática dos professores na disciplina. E, indiretamente, a competição também tem como meta a melhora do aprendizado dos alunos da rede pública de ensino por meio de leituras, de mais contato com o idioma, levando a um melhor desempenho na escrita.

 

Para o ministro, a olimpíada é um meio de ajuda na formação e motivação dos professores, o que “contribui para a evolução na qualidade da educação, que é a área de maior desafio do país”. Na última edição, houve a adesão de quase a totalidade dos municípios brasileiros, com taxa de 99%. O número de inscritos somou 239.435 professores de 60.123 escolas públicas onde estudam 7 milhões de alunos do ensino fundamental e médio.

 

As inscrições para as quatro categorias – poema, memórias literárias, crônica e artigo de opinião – deverão ser feitas até 25 de maio, no portal do evento.

 

Podem participar professores da rede pública e seus alunos do 5º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio e o gênero varia de acordo com o período do curso. Estudantes do 5º e 6º anos participam do gênero poema; do 7º e 8º anos desenvolvem textos de memórias literárias; e do 9º ano do ensino fundamental e 1º ano do ensino médio trabalham com crônica. Os alunos do 2º e 3º ano do ensino médio desenvolvem o gênero artigo de opinião.

 

No entanto, para que as inscrições possam ser consideradas válidas, deve ocorrer também a adesão da rede pública a qual os interessados estão ligados. Ou seja, nas escolas municipais, o secretário municipal de Educação deve fazer a adesão; e, no caso das estaduais, caberá ao secretário estadual de Educação fazer a adesão.

 

Haverá três etapas de premiação. Na primeira, professores e alunos escolhidos com os melhores 125 textos de cada gênero vão receber medalhas de bronze, livros e o direito a participar de diversas atividades de formação de acordo com o gênero em que está inscrito, como oficinas de leitura e escrita e visitas culturais durante os encontros regionais de formação. Na etapa seguinte, com 152 finalistas, os selecionados receberão medalhas de prata e um tablet e, as escolas, uma placa de homenagem.

 

Na conclusão da Olimpíada, prevista para ocorrer em dezembro, com solenidade em Brasília, haverá um total de 20 vencedores que receberão medalhas de ouro e um notebook. Já as escolas ganharão laboratórios de informática com dez microcomputadores e uma impressora junto com um projetor, telão e livros.

 

Fonte: Agência Brasil