Início Plantão Barra Má educação na porta da escola

Má educação na porta da escola

Todo fim de tarde, a cena é a mesma: uma longa fila de carros se forma na pista da direita da Estrada da Barra da Tijuca, sentido Barra-Alto, no Itanhangá. Dezenas de carros de pais de alunos, que vão buscar seus filhos na saída da escola, sem ter onde estacionar enfileiram os carros atrapalhando o trânsito no local.

Dentre as diversas irregularidades cometidas, estão os estacionamentos sobre a calçada, às margens do canal, na rotatória e na própria via. A escola possui algumas poucas vagas para estacionamento e um pequeno recuo, que também é ocupado pelas vans nos horários de entrada e saída dos estudantes.

“Os engarrafamentos são diários. Venho buscar meu filho e estaciono bem longe para não atrapalhar o trânsito, mas a maioria não faz isso. Quem tem dois filhos, é pior ainda, pois os pais ficam no carro, na pista, esperando eles saírem em horários diferentes”, comenta Cláudia Regina Pereira. Ela tem receio de caminhar longas distâncias para chegar ao carro, devido à precária iluminação da via, e sugere a permanência de um guarda municipal em frente à escola para orientar o trânsito no local.

O aposentado Delson Lemos, circula pela região e também discorda da atitude dos motoristas. “A entrada e saída deveria ser feita por ruas laterais e não nas vias principais. O poder público deveria rever as autorizações de escolas construídas em vias de grande movimento”, critica. De acordo com Lemos, dois outros colégios também dão um nó no trânsito da Barrinha nos horários de rush.

Vinicius Canedo, administrador da instituição, confirma que a escola foi concebida com uma real preocupação em torno do ideal de desenvolvimento sustentável. “Nossa preocupação não é exclusiva aos impactos ambientais causados pela operação da escola, mas também àqueles causados às comunidades em nosso entorno”, pontua.

De acordo com Canedo, algumas iniciativas importantes já foram tomadas, como a adoção de parte do canteiro central do Itanhangá, autorizada pela Prefeitura, com parecer favorável da CET-Rio e cuja obra está prevista para os próximos meses. Nesse canteiro central, além das vagas para veículos, haverá também uma praça arborizada, com bancos e brinquedos para as crianças. “Ressaltamos que esse espaço, apesar de 100% financiado com recursos da própria escola, será uma conquista da comunidade, não apenas nossa” conclui.

Fonte: Margareth Santos