Início Plantão Rio Mangaratiba recebe laboratório para análise da água após surto de hepatite

Mangaratiba recebe laboratório para análise da água após surto de hepatite

Mangaratiba vai receber um laboratório móvel para análise de água nesta sexta-feira (11/5). A medida visa evitar a evolução do surto de hepatite A no município se alastre. Até a tarde desta quinta-feira (10/5), 86 casos da doença haviam sido confirmados. Apenas um do tipo grave, que requer internação hospitalar.

 

 

O laboratório móvel fica em um caminhão da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e vai complementar os exames que já vêm sendo realizados pelo Laboratório Central Noel Nutels, do Governo do Estado, analisando a qualidade da água em diversas localidades da cidade. A unidade vai funcionar integrando o trabalho de técnicos da Secretaria de Estado de Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde e da Funasa.

 

 

Mangaratiba tem, ao todo, 37 mil habitantes e é o município menos populoso de sua microrregião. Até o momento, a área afetada é o primeiro distrito, onde residem 15 mil pessoas. Segundo o Superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES-RJ, Alexandre Chieppe, a situação da Hepatite A em Mangaratiba inspira cuidados.

 

 

– A situação é preocupante. Por isso estamos aqui com uma equipe grande para avaliar e monitorar a situação. Não dá para afirmar que o pico de transmissão da doença já passou, então, a situação é de alerta. É possível que surjam mais casos. Vamos monitorar dia após dia. Também orientamos as pessoas para evitar a contaminação intradomiciliar. O material informativo e educativo já está sendo distribuído pela prefeitura – esclareceu Chieppe.

 

 

Orientações à população

O fundamental é que a população esteja atenta à origem da água que consome, bebendo apenas água potável e utilizando cloro na desinfecção da água e alimentos. A SES-RJ recomendou que seja evitado o uso da água de três fontes suspeitas na cidade: fonte do Golfinho, a próxima ao Hotel Mendonça e a da Rodovia Rio-Santos.

 

 

Vacinação

Conforme preconizam o Programa Nacional de Imunização e Nota Técnica emitida pelo Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde endossa que não há indicação para a vacinação contra a Hepatite A no município de Mangaratiba.

 

– Até existe uma vacina específica contra o vírus causador da hepatite A. Mas esta vacina só é recomendada em situações específicas como: pessoas com outras doenças crônicas no fígado ou que fizeram transplante de medula óssea. Considerando a população com maior risco de desenvolvimento de complicações hepáticas, não há indicação de vacinação em massa contra Hepatite A no município de Mangaratiba ou em qualquer uma de suas localidades. As ações recomendadas pela SES já estão sendo desenvolvidas, incluindo a identificação das possíveis fontes de contaminação e a adoção de medidas que visam evitar a utilização dessas fontes pela população – ressalta o superintendente Alexandre Chieppe.

 

A hepatite A é uma doença contagiosa causada pelo vírus A (VHA). Também é conhecida como “hepatite infecciosa”. A transmissão dos vírus da hepatite A ocorre pela via fecal-oral, sendo as fezes a via básica de contaminação da água, de alimentos e de tudo que possa ser infectante por via oral. Entre os mais frequentes sintomas estão: cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Quando surgem, costumam aparecer de 15 a 45 dias após a infecção.

 

O diagnóstico da doença é realizado por exame de sangue. Após a confirmação, o profissional de saúde indica o tratamento mais adequado, de acordo com o estado do paciente. Na maioria dos casos, a hepatite A é uma doença de caráter benigno. Em menos de 1% dos casos ela causa insuficiência hepática aguda grave e pode ser fulminante.

 

 

Fonte: Governo do Rio