Início Plantão Barra Mês da Consciência Negra tem programação cultural especial no Rio de Janeiro

Mês da Consciência Negra tem programação cultural especial no Rio de Janeiro

Tradição há quatro anos, o Cortejo da Tia Ciata, evento em homenagem ao símbolo da resistência cultural africana, acontece na próxima terça, Dia da Consciência Negra, a partir das 10h. A escultura de Tia Ciata sai do Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, acompanhada de dançarinos, tocadores, músicos e diversos artistas em direção à estátua de Zumbi.

 

Matriarca negra e figura fundamental para a manutenção e enriquecimento da cultura, Tia Ciata foi uma das figuras mais influentes para o surgimento do samba carioca. Neste dia, celebra-se o encontro de dois personagens emblemáticos da cultura negra brasileira: Tia Ciata e Zumbi.

 

Terça (20), a partir das 10h. Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian. Rua Benedito Hipólito 125, Praça Onze. Grátis.

 

Empreendedorismo afro no Terreirão

O Dia da Consciência Negra também será lembrado no evento “Terreirão – Consciência e Resistência”, que pretende fazer um resgate das raízes negras, com o objetivo de revitalizar os valores culturais afro-brasileiros.

 

Para celebrar as conquistas e fortalecer ações voltadas ao afro empreendedorismo, haverá expositores de moda, artesanato, música, literatura, culinária e arte. Para animar o público,  além de oficina literária e desfile de moda afro, haverá apresentações de grupos de samba de raiz, funks tradicionais e baile charme.

 

Terça (20), a partir das 13h. Terreirão do Samba. Rua Benedito Hipólito 125, Praça Onze. Gratuito.

 

Seminário Internacional Cais do Valongo

A Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, a Representação da Unesco no Brasil e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional promovem o Seminário Internacional Cais do Valongo – Patrimônio Mundial desafios de Gestão e Interpretação, na sexta, dia 23 de novembro, no Museu de Arte do Rio.

 

A atividade pretende ampliar o diálogo com a população sobre o processo de construção da gestão compartilhada do Sítio Arqueológico Cais do Valongo e do seu museu de território – o Museu da História e da Cultura Afro-brasileira. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do e-mail [email protected] até o dia 20 de novembro.

 

Cultura afro em Irajá

No dia 20, a partir das 15h, a Lona Cultural Municipal João Bosco abre suas portas para a celebração do Dia da Consciência Negra. O público vai acompanhar apresentação de dança afro, roda de capoeira, exibição de curtas, a intervenção “Poemas Negros”, apresentação de hip hop e Festa Black. A entrada é gratuita.

 

Música de Moçambique

Cheny Wa Gune é um músico respeitado em Moçambique. Xixel Langa é cantora e dançarina, que mescla músicas tradicionais do país a um repertório eletrônico. Juntos, vão realizar um show que transitará por diversos ritmos tradicionais moçambicanos. Neste sábado, às 20h, na Sala Municipal Baden Powell. Ingressos a R$ 15.

 

 

História de Luiz Gama no palco

Até 28 de novembro, continua em cartaz no Teatro Municipal Serrador a peça “Luiz Gama – Uma voz pela liberdade” com sessões acontecem às terças e quartas, às 19h30. O espetáculo relata a história de um advogado negro que viveu entre 1830 e 1882. Mesmo tendo nascido livre, já que seu pai era branco e sua mãe uma escrava alforriada, Gama foi vendido como escravo aos 10 anos pelo pai, mas mudou seu destino. Aprendeu a ler e escrever e, depois, frequentou como ouvinte as aulas da Faculdade de Direito. Como advogado, mesmo sem ter o diploma, atuou em defesa dos negros, libertando mais de 500 escravos do cativeiro ilegal. Em 2018, Luiz Gama foi oficialmente reconhecido como o Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil e também inscrito no Livro dos Heróis da Pátria. Os ingressos custam a partir de R$ 20 (meia).

 

 

Oficina discute o afro-futuro

O  Museu da Escravidão e da Liberdade oferece uma oficina gratuita de Afroturismo no dia 17 de novembro, às 10h. O público terá a oportunidade de conhecer artistas negros que trabalham com afrofuturismo. Durante a aula, ministrada pelo artista plástico Raphael Bequeer, serão realizados exercícios corporais e visuais para a criação de objetos sensoriais. Os interessados podem fazer a inscrição pelo e-mail [email protected]

 

Reflexão

Apresentação dos alunos das oficinas de ballet, jazz e capoeira. O objetivo é colaborar para a reflexão sobre a posição histórica e cultural dos negros na sociedade. Areninha Carioca Gilberto Gil, em Realengo. Dia 22 de novembro, às 17h. GRÁTIS.

 

 

40º Sarau Jovelina

Literatura, música, artes cênicas/circenses/plásticas, dança, audiovisual e muito mais no Sarau que é um espaço de começos e formação de novas redes para artistas locais. Arena Carioca Jovelina Pérola negra, na Pavuna. Dia 22 de novembro, a partir das 19h30. GRÁTIS.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here