Início Plantão Rio Ministro de Israel visita Santa Marta

Ministro de Israel visita Santa Marta

A idéia das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) como uma estratégia de segurança em áreas dominadas por bandidos também interessou ao governo de Israel, um país que convive diariamente com a violência de terroristas palestinos. Para isso, o governo israelense enviou o ministro de Segurança Pública, Yitzhak Aharonovitz, para vir ao Rio conhecer o projeto do Governo do Estado. Aharonovitz visitou na última sexta-feira a comunidade Santa Marta, em Botafogo, uma das seis UPPs já instaladas na cidade.

O ministro estava acompanhado da mulher, Romema, do comandante do Comando de Polícia Comunitária (CPCom), coronel José Vieira de Carvalho Júnior, do comandante do 2º BPM, tenente coronel Antônio Carballo Blanco, e do coordenador de eventos da Subsecretaria de Planejamento e Integração Operacional da Secretaria de Estado de Segurança, major Marcus Vinícius, além do cônsul de Israel em Brasília e de outras autoridades israelenses.

O ministro veio ao Rio retribuir uma visita que o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, fez a ele em janeiro deste ano. Na oportunidade, Beltrame falou sobre o processo de pacificação de algumas comunidades do Rio. Aharonovitz se interessou tanto que quis ver de perto e gostou do que viu.

– Não vim conhecer os pontos turísticos da cidade, mas o trabalho da polícia e da Secretaria de Segurança nas áreas que foram ocupadas. Essa visita ampliou bastante o meu conhecimento. Os agentes de segurança daqui estão fazendo uma interação social para promover a segurança pública, que é o dever da polícia. Portanto, a minha impressão do projeto das UPPs foi muito boa, porque sem essa participação conjunta não há sucesso em um projeto como esse – afirmou o israelense.

Ao percorrer as vielas e ver a proximidade das casas, o ministro imaginou as dificuldades encontradas pela polícia ao subir o morro, antes da ocupação da comunidade.

– Imagino como devia ser para a polícia entrar aqui, recebendo tiro de cima, dos lados, debaixo, enfim, de tudo quanto é direção e sem saber de onde vem. Com as ruelas muito apertadas, dá para se esconder em qualquer lugar. Em Israel, a polícia também enfrenta bandidos armados, mas não temos essa dificuldade que o relevo daqui apresenta – constatou o ministro.

Primeiro, a comitiva do ministro esteve no 2º Batalhão da Polícia Militar (BPM), em Botafogo, a que a UPP de Santa Marta está subjugada. Depois, recepcionada pela comandante da UPP, capitão Pricilla Azevedo, visitou a sede da UPP, onde conheceu o centro de monitoramento de imagens, enviadas por sete câmeras espalhadas pela comunidade. O ministro quis saber como funciona o esquema.

– Desde a inauguração, as câmeras estão nos mesmos locais em que foram colocadas, embora possamos redirecioná-las ou trocá-las de lugar se for necessário.Todas as imagens captadas são gravadas e ficam à disposição por 10 dias. Depois desse tempo, as imagens são apagadas. No início, alguns moradores jogavam objetos tentando derrubar ou quebrar o equipamento, mas isso não acontece mais porque eles sabem que se fizerem isso, serão identificados – explica a capitão Pricilla.

O ministro elogiou a interação da UPP com crianças da comunidade, através de aulas de esportes, como o caratê, e de música.
– Em Israel, há a mesma dificuldade de interação com a comunidade. Lá temos bairros difíceis, que têm problemas de falta de segurança e a população não aceita a intervenção da polícia. Aqui vejo como é importante a polícia entrar e ficar nessas comunidades, se fazendo presente, estreitando os laços e cumprindo com o seu dever de defender o cidadão local – comenta o ministro.

Chegando à base do morro, os visitantes foram conhecer a quadra da escola de samba da comunidade, onde a bateria mirim fez uma apresentação especial. Em seguida, o ministro seguiu para o Batalhão de Operações Especiais (Bope), responsável pela ocupação dos territórios antes da implantação das UPPs. No batalhão, foi recebido pelo comandante, tenente coronel Paulo Henrique Azevedo Moraes.

Depois de conhecer como funciona a unidade especial, o ministro convidou o comandante para visitar a Unidade de Combate ao Terror, em Israel.

– Essa também é uma polícia especial que temos em Israel que trabalha com muitas informações de inteligência para orientar as táticas de combate. Acredito que as experiências que temos trarão acréscimos no trabalho que vocês já realizam aqui – sugeriu o ministro.

Fonte: UPP