Início Plantão Barra Morador do Recreio é a grande aposta no jiu-jitsu

Morador do Recreio é a grande aposta no jiu-jitsu

Campeão Estadual de 2010, Nisio Freitas se prepara para a maior conquista de sua carreira

Campeão estadual de Jiu-Jitsu 2010 nas categorias Meio Pesado, título conquistado no último dia 24 de abril no Iate Clube da Ilha do Governador, Nísio Freitas, morador do Recreio dos Bandeirantes, é uma das apostas para o Brasileiro, que será realizado no próximo fim de semana (15 e 16) no Tijuca Tênis Clube. Enquanto se prepara para o Brasileiro, Nisio, que é professor de Educação Física e Jiu-Jitsu, sonha mais alto: ele quer conquistar o título mundial, que será disputado em junho, na Califórnia.

 Nísio está treinando intensamente. A preparação física está sendo orientada pelo professor e treinador Ítallo Vilardo; com o professor Jefferson Moura, na academia Gracie Barra; e em Vargem Grande, onde dá aulas e treina. _ “Estou recebendo muitos incentivos e sei que tenho chances de chegar lá”, diz.

Apaixonado pelo jiu-jitsu, Nísio viu na luta uma forma de ganhar a vida. Foi em 1997 que ele começou a treinar, mas foi em 2000 que passou a encarar o esporte com mais seriedade, subindo nos tatames para competir. E vieram os primeiros títulos. Em 2003, conquistou a faixa preta e,  além de auxiliar o professor Afonso Camerote, passou a dar aulas em academias. Ano passado, conseguiu a maior vitória: sagrar-se campeão do Ranking Estadual de Jiu Jitsu nas categorias peso médio e absoluto.

Mas as conquistas de Nisio foram mais além. O lutador, que também briga para por fim ao preconceito em relação ao esporte,  tem o patrocínio de uma rede de ensino, o Pensi, o que representa mais uma vitória _ “Ter uma escola apostando no esporte ajuda a eliminar o conceito de atividade violenta. Isso mostra que a mentalidade está mudando. É um grande passo”, afirma o lutador. 

_ “O jiu-jitsu é a arte da técnica e da dominação. No tatame, é preciso ter controle e inteligência. Não há golpes traumáticos, socos nem joelhadas, a luta inicia em pé e termina no chão. É preciso usar a força do adversário como alavanca para dominá-lo", conta ele, que sonha em ver o esporte sendo ensinado nas escolas _ “Esta seria mais uma grande vitória”, diz.

 

 

Fonte: Assessoria