Início Plantão Rio Moradores da Cidade de Deus realizam ações paralelas à Rio+20

Moradores da Cidade de Deus realizam ações paralelas à Rio+20

 

O Restaurante Cidadão da Cidade de Deus, em Jacarepaguá, abriu, no sábado (16/6), as suas portas para receber cerca de 300 participantes das atividades paralelas à Rio+20, que também estão acontecendo em comunidades pacificadas como Chapéu-Mangueira e Babilônia, Rocinha, Vidigal, Complexo do Alemão e Pavão-Pavãozinho. No cardápio especial, foi oferecido feijoada e frango.

O superintendente de Territórios da Paz da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Daniel Misse, explicou que o evento paralelo à conferência Rio+20, que está debatendo o desenvolvimento sustentável do planeta, é importante por mobilizar as comunidades do Rio. E o almoço no Restaurante Cidadão é uma maneira de recompensar o esforço dos moradores da Cidade de Deus, que estão trabalhando para mostrar as boas práticas da comunidade.

 

– Aqui na Cidade de Deus estarão acontecendo do dia 21 a 24 de junho a feira artesanal, que já está montada na Praça Júlio Gloten; a jornada socioambiental, que vai discutir modelos de comunidades como proposta para cidade formal; e também os Jogos Abertos da Cidade de Deus, reunindo crianças e jovens da comunidade e de seu entorno – afirmou.

 

A coordenadora da Jornada de Educação Sócio Ambiental da Cidade de Deus, Magali da Conceição Silva, ressaltou que as atividades sustentáveis e ecológicas têm gerado renda para a população. A assistente social ressaltou que a feira é de base comunitária, que além do apoio do governo, conta com apoio do Grupo Alfazendo e organizações sociais da Cidade de Deus.

 

A feira da Cidade de Deus é formada por 20 barracas, onde são encontrados trabalhos artísticos e de artesanato sustentável, criados a partir de materiais reciclados (garrafas PET e papel), palha, fibra de bananeiras, sementes e cocos. São quadros, abajures, colares, pulseiras, tiaras, bonecas, espelhos ornados, guardanapos, entre outros produtos.

O artesão Marcelo Alcântara, de 39 anos, é um dos beneficiados pelas ações sustentáveis da comunidade. Antes de fazer o curso de artesanato, ele era alcoólatra. Com a ajuda de psicólogos e instrutores, ele conseguiu abandonar o vício e hoje é um artista.

 

– Graças à orientação que recebi, pude mudar de vida. Agora, contribuo com o planeta, fazendo trabalhos sustentáveis – disse Marcelo.

 

Programa Cozinha Brasil

De acordo com a superintendente de Segurança Alimentar da Secretaria de Assistência Social, Cláudia Regina de Azevedo Fernandes, durante a Rio+20 será assinado um convênio entre o governo estadual, a Firjan e o Sesi para viabilizar o Programa Cozinha Brasil, para orientar pessoas de comunidades pacificadas sobre o aproveitamento integral dos alimentos.

 

– A ideia é usar as cascas das frutas e legumes, talos das verduras, evitando o desperdício e contribuindo economicamente com as famílias das comunidades mais carentes – explicou Cláudia Regina.

 

Durante a Rio+20, serão retirados 250 quilos de cascas de alimentos e talos do Restaurante Cidadão da Central do Brasil para serem utilizados na oficina de compostagem na Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo. O objetivo é orientar as pessoas a transformar resíduos em adubo. Todas as ações estão voltadas para o desenvolvimento sustentável.

 

– Esse reaproveitamento reduz lixo e emissão de gazes, e a população aprende a se alimentar melhor, com o emprego integral dos alimentos. Representa qualidade de vida e nutrição saudável – completou a superintendente.

 

Fonte: Governo do Rio