Início Plantão Rio Moradores da Rocinha vão ganhar biblioteca-parque

Moradores da Rocinha vão ganhar biblioteca-parque

 

 

O Governo do Estado entrega, na próxima segunda-feira (4/06), às 10h, a Biblioteca-Parque da Rocinha. O espaço ocupará um prédio de cinco andares, dedicado à literatura, às artes, à integração da comunidade com a cultura local, com a cultura contemporânea e com os clássicos.

 

A unidade terá, nos seus 1.600 metros quadrados, DVDteca, cineteatro, sala multiuso para cursos, estúdios de gravação e edição audiovisual, setor de leitura e internet comunitária, cozinha-escola e café literário. Administrado pela Secretaria de Cultura, o espaço integrará uma rede de bibliotecas-parque, iniciada com a abertura da Biblioteca-Parque de Manguinhos, em abril de 2010. Seu modelo é inspirado nas bem-sucedidas experiências implementadas em Medellín e Bogotá, na Colômbia.

 

A obra, inserida no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Rocinha, foi implantado pela Secretaria de Obras, por intermédio da Emop, cujo investimento total é de R$ 272 milhões.

 

Os recursos foram investidos na construção de um complexo esportivo, uma passarela projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer sobre a Auto Estrada Lagoa-Barra, ligando o complexo esportivo à comunidade, uma UPA 24h, 144 unidades habitacionais e a urbanização da área conhecida como Valão, com melhorias nas fachadas de 60 unidades habitacionais, e da Rua Quatro, antes uma viela de 60 centímetros de largura e transformada em um novo caminho, de até 12 metros de largura, todos entregues.

 

Além disso, já foram disponibilizados pela União para complementação do PAC 1 mais R$ 49 milhões, que serão aplicados na conclusão da creche modelo, plano inclinado e urbanização do Largo do Boiadeiro. Os projetos estão em análise na Caixa Econômica Federal e, após a liberação, as obras serão licitadas.

 

A Rocinha foi contemplada também com o PAC 2, cujo projeto executivo está em fase inicial de elaboração. O projeto vai gerar um volume de obras de mais de R$ 700 milhões, em saneamento, melhorias habitacionais, construções de moradias e transportes eletromecânicos não-poluentes para solução dos problemas de acessibilidade.

 

Fonte: Agência Brasil