Início Plantão Rio Morro do Adeus ganha 32 novos

Morro do Adeus ganha 32 novos

Até o final do mês, o Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, ganhará mais 32 habitações, em prédios que foram construídos no acesso à estação do teleférico. Os dois prédios, com 16 apartamentos de dois quartos cada, estão sendo finalizados e irão receber famílias que estavam em áreas de risco e no trajeto das obras de urbanização da comunidade. Com a inauguração do novo sistema de transporte, em setembro, a região ganhará não apenas o primeiro teleférico integrado ao transporte de massa do país, mas uma nova e forte atração turística.

O processo de instalação dos pilares do teleférico está na fase final, assim como a montagem das grandes polias nas estações, que estruturarão todo o sistema. As 152 gôndolas já estão no Rio a e encontram-se em fase de acabamento as seis estações, sendo cinco na comunidade – Adeus, Baiana, Alemão, Itararé/Alvorada e Fazendinha – e uma de integração com a estação ferroviária de Bonsucesso. As obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) nas comunidades do Alemão, Manguinhos e Rocinha estão em ritmo acelerado e deverão ser entregues antes do prazo previsto, que era final de 2010.

– As obras estão aceleradas para que possamos atender a população de forma mais rápida. Essas obras de urbanização quebraram a inércia que vem de décadas nas comunidades fluminenses, levando saneamento básico, habitações dignas, acessibilidade, educação, cultura e projetos de geração de renda para milhares de famílias. Em três anos, os moradores das comunidades puderam ver as transformações que estão acontecendo e irão alavancar uma série de novos projetos e ações, tanto do governo, quanto da iniciativa privada – frisou o secretário de Obras, Hudson Braga.

Na Rocinha, a expectativa é de que o Centro de Convivência e Cultura, conhecido como C4, e a passarela sobre a autoestrada Lagoa-Barra, que une a comunidade ao complexo esportivo, sejam inaugurados em 30 de junho. O projeto da passarela, um presente do premiado arquiteto Oscar Niemeyer para os moradores da comunidade, já começa a tomar forma sobre a estrada e chama a atenção de todos os que passam pela região. Para arrematar o grande laço, que significa a união entre comunidade e asfalto, Niemeyer estabeleceu um arco, como o da Apoteose, que vai enfeitar a região.

Já o C4, que promete ser um dos principais pontos de cultura da área de São Conrado e Rocinha, terá seis andares e vai oferecer salas para exposições, teatro, cursos, biblioteca e restaurante. Como polo irradiador, o centro pretende concentrar todas as expressões de cultura da comunidade, assim como oferecer oficinas de dança, música e arte, não apenas para os moradores da Rocinha, mas para todos aqueles que se interessam pela cultura nordestina (presença forte na comunidade), popular e de hip-hop, com grupos que já fazem espetáculos em todo o país.

Fonte: Secretaria de Obras