Início Cultura O Espaço de Cinema Cavideo vai ser inaugurado, dia 16 de abril,...

O Espaço de Cinema Cavideo vai ser inaugurado, dia 16 de abril, no Museu da Maré, RJ

Projeto vai contar com quatro sessões semanais de filmes do acervo da produtora, além de debates e oficina de como realizar e produzir filmes ministrada pelo cineasta Cavi Borges

Com o objetivo de ampliar o acesso dos moradores do Complexo da Maré à arte e à cultura, o “Espaço de Cinema Cavideo” abre as portas, no dia 16 de abril, no Museu da Maré, com programação gratuita que inclui exibições de filmes durante quatro meses (sempre às terças e quintas-feiras e em datas extras a serem anunciadas), debates, e oficinas. Os filmes exibidos serão escolhidos entre os mais de 350 disponíveis do acervo da Cavideo, que nasceu como locadora, em 1997, e hoje é uma produtora de obras audiovisuais dirigida por Cavi Borges. Entre os filmes selecionados, estarão “Cidade de Deus – 10 anos depois”, de Cavi Borges; “Distração de Ivan”, de Gustavo Melo, Cavi Borges; “L.A.P.A”, de Emilio Domingos e Cavi Borges, entre outros. Depois do fim do projeto, em agosto, todo o equipamento adquirido para a abertura do espaço de exibição (projetor, computador, telão e aparelhagem de som) será doado para continuação do trabalho.

Uma vez por mês, haverá debate com um convidado após a sessão, com nomes como Neville de Almeida, Luciano Vidigal, Marcus Faustini, e uma oficina de como realizar e produzir filmes, ministrada por Cavi Borges, para até 30 jovens da comunidade durante dois meses. Haverá também sessões com tradução em LIBRAS. audiodescrição e capacitação da equipe do projeto para se relacionar com o público com deficiência auditiva e visual. O Espaço de Cinema Cavideo foi idealizado pelo ator e produtor Pedro Monteiro e pelo cineasta Cavi Borges, e é apresentado pelo Governo Federal, Ministério da Cultura, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Paulo Gustavo.

Na primeira semana, serão exibidos os filmes “Jango”, de Silvio Tendler; “O que é isso, companheiro?”, de Bruno Barreto; “Várias Vidas de Joana”, de Cavi Borges e Abelardo de Carvalho, “Manhã Cinzenta”, de Olney São Paulo; “Zuzu Angel”, de Sérgio Rezende; e “Torre das Donzelas”, de Susanna Lira.

“O projeto nasceu da vontade de fomentar a cultura na região, mas também da minha memória afetiva da educação que recebi nas escolas municipais e estadual onde estudei. Sou formado no ensino médio pelo colégio estadual Amaro Cavalcanti, no Largo do Machado, aqui no Rio de Janeiro. O meu interesse pelas artes nasceu a partir de atividades na sala de aula ou nas iniciativas culturais públicas que frequentei. Assim, comecei a construir o adulto que sou”, lembra Pedro Monteiro.

Durante seus 27 anos de atividades, a Cavideo tem contribuição fundamental para o fomento do cinema nacional, e firmou inúmeras parcerias com espaços de projeção na cidade, como o Nós do Morro, no Vidigal; a Arteiros, na Cidade de Deus; Cinema de Guerrilha da Baixada, em São João de Meriti; Subúrbio em Transe, em Vista Alegre, entre outros.

“Queremos ampliar o acesso dos moradores da Maré ao cinema, mas também organizar debates que gerem reflexões artísticas, políticas e sociais sobre os temas tratados nos filmes. A gente sempre teve essa vontade de estar em vários lugares do Rio, a diversidade é a marca registrada da Cavideo. Vamos apresentar para a comunidade da Maré filmes feitos no Vidigal, na Cidade de Deus, na Rocinha. Diferentes espaços da cidade também vão nessa ocupação”, comenta Cavi. “Vamos levar para lá nossa experiência não só de produção, mas também de distribuição, de exibições em cineclubes. Esse trabalho que a gente já desenvolve há 27 anos”, conclui o diretor.

 

Sobre a Cavideo

A Cavideo foi inaugurada em 1997 numa loja dentro da Cobal do Humaitá como locadora especializada em filmes de arte, tornando-se uma referência dos cinéfilos cariocas. Nos anos 2000 a locadora virou uma grande parceira de diversos realizadores emprestando gratuitamente filmes para serem exibidos em cineclubes, e espaços alternativos de cinema. Criou o projeto “Curtas na Prateleira” que distribuiu gratuitamente por cinco anos DVDs com curtas metragens. Desde 2005 a Cavideo deixou de ser só uma locadora de vídeos, e se transformou numa produtora de audiovisual. Realizou ao todo 143 curtas-metragens, 92 longas, além de videoclipes e videodanças. Alguns desses filmes participaram de grandes festivais de cinema, como: Cannes, Berlim, Rotterdam, e Festival do Rio. Ao todo a Cavideo já distribuiu em salas de cinema do país 25 longas-metragens nacionais.

Programação dias 16/04 e 18/04

16/04 14h – Jango (1984), de Silvio Tendler.

Documentário, Livre.

117 min (longa-metragem).

Sinopse: O filme refaz a trajetória política de João Goulart, o 24° presidente brasileiro, que foi deposto por um golpe militar nas primeiras horas de 1º de abril de 1964. Goulart era popularmente chamado de ‘Jango’, daí o título do filme, lançado exatos vinte anos após o golpe.

16/04 16h30 – O que é isso, companheiro? (1997), de Bruno Barreto.

Ficção, 14 anos.

110 min (longa-metragem).

Sinopse: O jornalista Fernando e seu amigo César abraçam a luta armada contra a ditadura militar no final da década de 60, após a publicação do AI-5. Os dois se alistam em um grupo guerrilheiro de esquerda e, em uma das ações do grupo militante, César é ferido e capturado pelos militares. Fernando então planeja o sequestro do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Charles Burke Elbrick, para negociar a liberdade de César e de outros companheiros presos.

18/04 14h – Mostra de curtas:

Várias Vidas de Joana (2009), de Cavi Borges e Abelardo de Carvalho

Documentário, Classificação Livre

10 min (mostra de curtas)

Sinopse: Menina cresce no interior alheia aos principais acontecimentos do país. Aos dezoito anos desembarca no Rio de Janeiro sem imaginar o que a esperava pela frente. A data? Primeiro de abril de 1964. A partir de então, Joana e o Brasil nunca mais foram os mesmos.

Manhã Cinzenta (1969), de Olney São Paulo

Ficção, Classificação indicativa: 16 anos

22 min (mostra de curtas)

Sinopse: Um casal de estudantes segue para uma passeata onde o rapaz, um militante, lidera um comício. Eles são presos durante a manifestação, torturados na prisão e sofrem um inquérito absurdo dirigido por um robô e um cérebro eletrônico. Os negativos e cópias do filme foram confiscados em 1969, mas uma das cópias foi salva e permaneceu escondida por 25 anos na Cinemateca do MAM no Rio de Janeiro.

18/04 15h – Zuzu Angel (2006), de Sérgio Rezende

Ficção, Classificação indicativa: 14 anos

108 min

Sinopse: Nos anos sombrios da ditadura, Zuzu Angel era uma estilista de sucesso que conquistava o mundo com o seu talento, até que seu filho Stuart desapareceu nas mãos dos militares, foi torturado e morto.

18/04 19h – Torre das Donzelas (2018), de Susanna Lira.

Documentário, Classificação indicativa: 12 anos.

97 min.

Sinopse: O documentário “Torre das Donzelas” revisita o período em que o Brasil vivia sob uma ditadura militar e se concentra em um grupo de ex-presas políticas do sexo feminino que dividiu uma cela no Presídio Tiradentes, em São Paulo. Rompendo 40 anos de silêncio, “Torre das Donzelas” visa recuperar as memórias dessas mulheres e de seu passado militante, a fim de compreender como esse período se reflete no país que estamos vivendo hoje.

Ficha Técnica

Idealização: Cavi Borges e Pedro Monteiro.

Direção Artística: Pedro Monteiro

Direção de Produção: Tem Dendê! Produções – Tamires Nascimento

Curador: Hans Spelzon e Cavi Borges

Técnico de projeção: Ângelo Alves

Consultoria técnica: Charles Torres

Montagem: João Gioia

Intérprete de LIBRAS/Formação em acessibilidade: Thamires Ferreira

Assessoria de imprensa: Rachel Almeida (Racca Comunicação)

Designer: Isabel Lippi

Prestação de contas: Alan Isídio

Contabilidade: Vox

Assessoria jurídica: Bruno Assis

Assistente de produção: Jefferson Almeida

Apoio Institucional: Museu da Maré, Ceasm

Realização: Cavideo Produções e Pedro Monteiro

Serviço:

Espaço de Cinema Cavideo

Funcionamento:14 de abril a 08 de agosto de 2024

Museu da Maré: Av. Guilherme Maxwell, 26 – Maré.

Dias e horários: sessões, às terças e quintas-feiras, a partir das 14h. e datas extras a serem anunciadas. A programação será divulgada na semana anterior às sessões

Dia 16/04: “Jango”, de Silvio Tendler (14h) e “O que é isso, companheiro?”, de Bruno Barreto (16h30).

Dia 18/04: Mostra de curtas, com “Várias Vidas de Joana”, de Cavi Borges e Abelardo de Carvalho e “Manhã Cinzenta”, de Olney São Paulo (14h); “Zuzu Angel”, de Sérgio Rezende (15h) e “Torre das Donzelas”, de Susanna Lira (19h).

Telefone: (21) 3868-6748 e (21) 98529-9886 (Whatsapp)

Ingressos: gratuitos

Lotação: 187 pessoas

Classificação: variável, de acordo com a programação do dia

Programação: estará disponível em www.instagram.com/espacodecinemacavideo e nas redes sociais da Cavideo e do Museu da Maré.