Início Plantão Rio Parceria entre CEDAE e iniciativa privada contribuirá para a melhoria do complexo...

Parceria entre CEDAE e iniciativa privada contribuirá para a melhoria do complexo lagunar da Barra da Tijuca

DSC_0673
Diretores das construtoras Cyrela e Rossi com o presidente da Cedae, Wagner Victer.
Foto: Luís Winter.

 

A Cedae assinou nesta quinta-feira (21/08), na sede da companhia, na Cidade Nova, termos de cooperação técnica com as empresas do consórcio Cyrela/Rossi e da OAS Empreendimentos Imobiliários para a realização de importantes obras de saneamento para a região de Jacarepaguá. Trata-se de dois projetos distintos, que beneficiam um total de cerca de 50 mil habitantes. As obras vão ao encontro dos compromissos olímpicos de 2016 e contribuem para a melhoria ambiental do complexo lagunar da Barra.

 

– Com estes projetos, quem ganha é a cidade do Rio de Janeiro. São investimentos que garantem a infraestrutura necessária para o crescimento da região – disse o presidente da Cedae, Wagner Victer.

 

Orçado em R$ 2 milhões, o projeto da Luana e Aparine consiste na implantação, sem custos para a Companhia e para o governo do estado, de 365 metros de rede coletora com diâmetros de 200 e 250 milímetros, além de 280 metros de troco coletor com 600 milímetros de diâmetro, incluindo a travessia sob a Avenida Abelardo Bueno. Pelo contrato, a Cedae fica responsável pela manutenção e operação do sistema. O projeto beneficia cerca de 30 mil habitantes.

 

O termo de cooperação técnica, igualmente sem custos para a companhia, assinado com empresa OAS, envolvendo 41 empreendimentos imobiliários, beneficiará mais de 17 mil habitantes de Jacarepaguá. O acordo prevê a construção de cerca de 600 metros de tronco coletor de esgotos, com diâmetros de 300 e 400 milímetros, e 1.150 metros de rede distribuidora com 300 milímetros de diâmetro. Este projeto está orçado em R$ 2,5 milhões.

 

Estiveram presentes às assinaturas dos termos de cooperação técnica, o presidente da Cedae, Wagner Victer, e representantes das empresas Cyrela/Rossi e OAS.

Fonte: CEDAE