Início Plantão Brasil Pedido indiciamento de Dantas

Pedido indiciamento de Dantas

Itagiba queria o indiciamento de DantasA deputada Iriny Lopes (PT-ES) leu, nesta quinta-feira, o relatório final das atividades da Comissão Parlamentar de Inquéritos das Escutas Telefônicas Clandestinas, CPI dos grampos, no Plenário da Câmara, em que inclui o indiciamento do banqueiro Daniel Dantas. Segundo ela, há indício de que Dantas teria contratado empresa de escutas telefônicas para grampear conversas durante a compra da Brasil Telecom pela Telecom Itália. O grupo Opportunity era interessado na negociação. Ela substituiu o deputado Nelson Pelegrino (PT-BA), até então relator, que se licenciou na última semana dos trabalhos da CPI dos grampos para assumir a Secretaria de Justiça da Bahia. Ele havia redigido um parecer no qual não constava o nome de Dantas.

O relatório dela será em caminhado ao Ministério Público junto com os quatro relatórios alternativos, que foram apresentados por outros deputados. Além disso, ela manteve o indiciamento de Idalberto de Araújo, sargento da Aeronáutica que indicou Francisco Ambrósio do Nascimento, ex-servidor do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI), para trabalhar com Protógenes. Ele é acusado de vazar material sigiloso. Ao contrário do que pretendia a oposição, a CPI não pediu o indiciamento dos delegados Protógenes Queiroz e Paulo Lacerda, ex-diretor-geral da Polícia Federal. A relatora explicou que não propôs o indiciamento de pessoas que já estão indiciadas, como é o caso desses delegados.

A reunião da CPI foi encerrada e será retomada na próxima terça-feira com a votação de destaque apresentado pelo deputado Laerte Bessa (PMDB-DF), para retirar do relatório o pedido de indiciamento do terceiro-sargento da Força Aérea Brasileira Idalberto Martins e da delegada da Polícia Civil do Distrito Federal Eneida Orbage.

Reclamação

Para o Grupo Opportunity, o indiciamento do banqueiro Daniel Dantas, pela nova relatora da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas Clandestinas da Câmara, deputada Iriny Lopes (PT-ES), vai “livrar aqueles que mentiram à CPI e fazer eco à Operação Satiagraha, marcada pela agressão ao estado de direito”.

Em nota, divulgada na noite anterior, o Opportunity nega a existência de interceptações telefônicas que teriam sido feitas pela Kroll, contratada pela Brasil Telecom, contra a Telecom Itália. A suposta espionagem feita pela Kroll foi investigada pela Polícia Federal na operação que recebeu o nome de Chacal.

“A Kroll foi contratada pela Brasil Telecom para recolher evidências da atuação ilícita da Telecom Itália com o objetivo de subsidiar um processo de indenização”, diz a nota, ressaltando que o juiz do caso e a Polícia Federal não conseguiram comprovar que os equipamentos da Kroll se destinavam à interceptação telefônica.

Em seu depoimento à CPI dos Grampos em abril deste ano, o banqueiro Daniel Dantas disse que não ordenou a instalação de grampos ilegais pela Kroll e alegou que a Operação Chacal teria sido “encomendada” pela Telecom Itália à Polícia Federal. Segundo Dantas, a empresa do setor telefônico italiano teria interesse em prejudicar a Brasil Telecom na disputa pelo setor de telefonia no Brasil.

“A única denúncia de interceptação telefônica ilegal foi feita na Itália”, diz a nota do Opportunity

Fonte: Correio do Brasil