Início Plantão Brasil Pelé faz convite às faculdades

Pelé faz convite às faculdades

Patrono da Rede de Ensino Desportivo, criada em outubro, Pelé, Atleta do Século, professor de educação física formado, está convidando faculdades brasileiras para integrarem a organização de ensino à distância como parceiras em ensino de pós-graduação à distância, a partir de 1º março.
 
Os cursos de pós-graduação da Rede, de um ano, têm aulas transmitidas ao vivo, recepcionadas em unidades temáticas, a exemplo de Técnicas e Táticas Esportivas, Nutrição Aplicada à Atividade Física, Fisioterapia no Esporte Direito Esportivo, e Gestão e Marketing Esportivo, entre outras. O aluno se dirige uma vez por semana a Rede e acompanha a aula em telessalas.
 
Faculdades interessadas receberão o conteúdo transmitido a distância, em tempo real, com total interatividade entre estudante e professor. Poderão, assim, certificar seus alunos.
 
A atração de faculdades para o sistema de ensino à distância é facilitada em razão da dificuldade de grande parte delas em formar turmas de aluno para pós-graduação.
 
A Rede, além das faculdades parceiras, terá franquias nas principais cidades brasileiras, além de manter acordos com escolas de ensino médio e fundamental.
 
A organização está sendo apresentada em ciclos de palestras gratuitas, que serão realizados até fevereiro, mediante inscrição pela Internet (www.portalrede.com.br).
 
PÓS-GRADUAÇÃO
 
A Rede, com faculdades, escolas parceiras e franquias, promoverá os seguintes cursos de pós-graduação, a partir de 1º de março: Técnicas e Táticas Esportivas, Nutrição Aplicada à Atividade Física, Fisioterapia no Esporte – Lesão e Traumas, Personal Training, Psicologia Esportiva, Direito Esportivo, Atividades Físicas para Grupos Especiais, Saúde e Bem Estar, Gestão Eficaz de Academia, Gestão e Marketing Esportivo, Jornalismo Esportivo, Educação Física Escolar. São os doze cursos iniciais, número que será ampliado a partir do segundo semestre.
 
ENSINO FUNDAMENTAL
 
Preparada durante um ano como sistema de ensino, a Rede de Ensino Desportivo também será acessível para escolas de ensino médio e fundamental, com seu Programa Educativo Lúdico Escolar. O objetivo desse programa é proporcionar aos jovens de ensino médio e fundamental a educação esportiva, complementado pelas atividades físicas das instituições.

Serão ministrados conteúdos de ensino de esportes coletivos, capacitação para Olimpíadas, saúde e bem estar. As escolas ganharão, assim, um diferencial em sua grade curricular e poderão, à noite, oferecer também os cursos de pós-graduação.
 
DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO
 
O empreendimento é voltado, na área de pós-graduação, à faixa de público B e C, familiarizado com a Internet e suas ferramentas virtuais, como MSN, o Twitter, Flickr, Blogger, Orkut, YouTube, MySpace, LinkedIn, Facebook, entre outras redes sociais.
O conjunto de envolvidos no sistema – faculdades, escolas e franquias -, com o modelo de ensino à distância, promove intensa democratização da educação, fato que atraiu o apoio de Pelé(leia abaixo depoimento dele no lançamento da Rede em outubro, disponível em áudio no www.maiscom.com).
 
INVESTIMENTOS E RETORNO
 
O Brasil investe R$ 40 bilhões por ano em educação; e R$ 37 bilhões em esporte. A Rede surge num momento muito importante para a formação de pessoal no Brasil, com foco em atividades esportivas e seus reflexos na sociedade, como no turismo, no lazer e na saúde.
 
Nós próximos seis anos, pelo menos cinco grandes eventos movimentarão o esporte como um todo. Em 2010, a Copa do Mundo de Futebol na África do Sul; em 2011, Jogos Mundiais Militares, no Rio de Janeiro; em 2012, a Olimpíada na Inglaterra; em 2013, a Copa das Confederações; em 2014, a Copa do Mundo de Futebol, no Brasil; e, em 2016, a Olimpíada, no Rio de Janeiro. Outros exemplos são os Jogos de Inverno em Vancouver e do Sulamericano de Medelín, em 2010.
 
Dirigentes da organização de ensino destacam que cada unidade franqueada da Rede – com aplicação de R$ 150 mil a R$ 250 mil – poderá ter um retorno esperado, com gestão eficaz, de 44% sobre o investimento, em dois anos. Para isso, basta que cada franquia tenha, pelo menos, 180 alunos de pós-graduação à distância, 15 por curso do total de 16 inicialmente programados para 2010.
 
A mensalidade dos cursos, na faixa de R$ 250, é outro atrativo da Rede. Não há taxa de franquia, mas a definição de um valor que deve ser aplicado em publicidade localmente.
 
A nova organização de ensino, lançada dia 15 de outubro passado, Dia do Professor, já está instalada, inicialmente, em São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Florianópolis, Campo Grande, Salvador, Santos, Miami e Nova York.
 
As aulas, para a comunidade de língua portuguesa nos Estados Unidos, serão ministradas via internet.
 
Investiram para a criação da Rede, entre outros, o Instituto Fitness Brasil, com experiência acumulada de 20 anos na promoção de eventos educacionais, e as academias Pelé Club.
 
RESUMO DO DEPOIMENTO DE PELÉ – EDSON ARANTES DO NASCIMENTO – NO LANÇAMENTO DA REDE DE ENSINO ESPORTIVO.
 
“Eu gostaria em primeiro lugar agradecer a Deus por ter nos dado saúde de estar aqui neste momento (do lançamento da Rede de Ensino Desportivo, dia 15 de outubro de 2009, Dia do Professor). Vocês como são jovens, talvez, não se lembram do Valdemar de Brito, amigo do meu pai, que era um jogador de futebol. Meu pai, Dondinho, jogava no Bauru Atlético Clube. Eu ouvia o Valdemar de Brito conversando com meu pai, e ele falava assim: Dondinho (João Arantes do Nascimento), você tem que por o Pelé na escola, o Pelé joga muito bem mas ele tem que estudar. Por isso que digo que Deus encaminha as coisas. Naquela época, meu pai e minha mãe queriam que eu fosse um professor, eu tinha que ser um professor, porque meu pai não tinha tido muita sorte no futebol, machucou o joelho. Então, o esforço da minha família em Bauru, era para que eu fosse um professor. Era uma época em que estava uma euforia mais ou menos como esta de hoje, porque era a Copa do Mundo de Futebol de 1950, eu estava com 9 anos.

Professor naquela época era a coisa mais importante, o meu pai vendo o Brasil perder a Copa do Mundo de 50, estava chorando com os jogadores do Bauru lá no pátio, porque ele tinha feito uma festinha, como todos os brasileiros tinham feito. Eu vi que meu pai estava chorando. Aí falei pro meu pai, não chora pai, o Brasil perdeu a Copa do Mundo, mas um dia eu vou ganhar a Copa para o Brasil, vou ganhar a Copa para o senhor. Em menos de 10 anos, em 1958, o Brasil foi Campeão do Mundo de Futebol, e eu estava na Copa e dei o presente para o meu Pai. Eu não tinha dado o presente para minha mãe ainda, que era o meu diploma de professor.
 
Passaram todos esses tempos, eu vim para o Santos, na Seleção Brasileira eu conheci o professor Julio Mazzei. Ele falou: Pelé, você tem que estudar. Eu falei: professor não dá; a gente joga quatro campeonatos. O professor Mazzei falou: dá sim, nos vamos estudar. O professor Mazzei me fez estudar, foi quando eu me graduei. Depois de ser profissional de futebol, eu dei o diploma de educação física para a minha mãe, dona Celeste.
 
Então, para vocês verem como são as coisas, todo ser humano tem defeitos, todos erram, apesar de sempre procurarmos fazer o melhor. Eu peço sempre a Deus para não decepcionar as pessoas que me acompanham, as pessoas que me admiram, as pessoas que me amam, e principalmente os brasileiros. Tudo o que eu faço, eu faço para que cada vez mais para elevar o nome do nosso país. Uma das coisas que mais me chamava a atenção era justamente a educação, porque o futebol, foi pelo futebol que eu conheci o mundo todo, tive a felicidade de ter experiências maravilhosas de diferentes culturas, que o ensino talvez não me desse.
 
Nenhuma universidade poderia me dar a oportunidade que o futebol me deu de viajar. Minha mãe queria que eu fosse professor, então hoje é Dia do Professor e eu aproveito a oportunidade para dizer aos meus colegas que pouca gente sabe que o Pelé é professor por causa do futebol.

Aproveito a oportunidade para dizer que é uma honra eu estar aqui hoje, e sempre me preocupando e lutando para que nos pudéssemos levar o esporte às crianças pobres, aos bairros mais pobres. O esporte tem um atrativo de tirar as crianças das drogas, tirar da marginalização. Eu não quero me alongar muito, eu só quero passar para vocês coisas e experiências pessoais que às vezes o público não sabe, mas tudo isso aconteceu na minha vida. Tenho certeza de que, se Deus me encaminhou mais uma vez para esse grupo, para essa Rede, é porque Ele acha que eu ainda posso fazer alguma coisa pelo nosso país".
 

 

Fonte: Assessoria