Início Plantão Rio Pezão apresenta obras para Cabral

Pezão apresenta obras para Cabral

O vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, abordou ainda as demais obras ligadas à sua secretaria durante o encontro com o governador Sérgio Cabral, na quarta-feira. O PAC do Saneamento terá investimento de R$ 1,2 bilhão. Já foram executados quase R$ 200 milhões que geraram 4.982 empregos. Serão beneficiados 1,2 milhão de habitantes. As principais obras serão as melhorias operacionais da Estação de Tratamento de Água do Guandu, os reservatórios Imunana-Laranjal, em São Gonçalo, e da Baixada e os principais sistemas de esgotamento sanitário do estado, num total de 67 obras.

O Arco Metropolitano, que ligará Itaboraí a Itaguaí, cortando toda a Baixada, está atrasado em função de dificuldades de obtenção de licenciamento ambiental. Serão investidos nele R$ 928 milhões, recursos do PAC com contrapartida do governo do estado. Pezão garantiu que, devido à liberação de alguns trechos, a obra avanaçará até o fim do ano em cerca de 40%.

As obras na comunidade Santa Marta, em Botafogo, orçadas em R$ 32 milhões, compreendem melhorias em 457 habitações, urbanização dos principais acessos, o plano inclinado e construção de 160 unidades habitacionais.

Beneficiando 800 mil pessoas, os investimentos do Prodetur, programa federal no Estado do Rio com contrapartida estadual, terão 51 obras, a serem iniciadas. Estão previstas a urbanização da Lagoa de Araruama e a construção do aterro sanitário de Búzios, a eletrificação da Ilha Grande e a implantação de saneamento ambiental na Vila do Abraão, a construção de terminal hidroviário e de um centro de informações turísticas em Angra dos Reis, a recuperação da estrada Rio Claro-Mangaratiba, a pavimentação da estrada Capelinha-Visconde Mauá, Maringá e Maromba, a recuperação da estação ferroviária de Valença, a pavoimentação de estrada em Conservatória e a construção do Parque da Bossa Nova, no Leblon.

O Programa Somando Forças, antigo Padem, terá investimento de R$ 725 milhões em todos os municípios do Estado, incluindo restos a pagar do governo anterior no valor de R$ 66 milhões, já quitados. Serão gerados 7.800 empregos e beneficiadas 1,1 milhão de pessoas. Serão 430 obras de saneamento, urbanização e edificação e aquisição de 120 equipamentos. Serão entregues este ano obras no valor de R$ 432 milhões em 106 convênios e o restante no ano que vem.

O Programa Delegacia Legal terá investimentos de R$ 230 milhões, gerando 1.715 empregos e beneficiando 473 mil habitantes, com a construção ou reforma de 91 unidades policiais, entre delegacias, casas de custódia e postos de polícia técnica. Com esses investimentos, o governo do estado completa o programa, iniciado em 1999.

O Programa Rio Sem Lixão terá investimento de R$ 17,6 milhões, mas foram gastos até agora apenas 29,5%. O restante será executado até o fim do ano. As principais obras são a implantação de aterro sanitário nos municípios de Teresópolis, Vassouras, Paracambi e Quissamã, com o objetivo de melhorar as condições sanitárias e ambientais desses lugares. Serão beneficiadas 400 mil pessoas.

No Programa de Despoluição da Baía de Guanabara, o governo do estado investe este ano R$ 59,3 milhões, sendo que 83,14% já foram executados. Os projetos geraram, no total, 350 empregos diretos. Falta apenas a complementação dos sistemas das estações de tratamento de esgoto Alegria, no Caju, e de Sarapuí, na Baixada. O PDBG, a cargo da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), propõe-se a melhorar as condições ambientais da Baía de Guanabara, incrementar o abastecimento de água, melhorar a coleta de lixo, fazer o controle das inundações e desenvolver projetos ambientais no entorno.

No caso das lagoas da Barra, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes, os investimentos giram em torno de R$ 507 milhões, sendo que R$ 408 milhões já foram gastos com a construção do emissário submarino, a implantação de tronco coletor e de redes de esgoto, estação de tratamento e construção de elevatórias pela Cedae. Essas intervenções, com as que ainda faltam, vão melhorar as condições ambientais daqueles bairros, beneficiando cerca de 746 mil pessoas.

Com o Programa Preservando – Recuperando Prédios Públicos, o governo do estado investe R$ 274,9 milhões, sendo que já executou 62,53% das 288 obras previstas, empregando 5,6 mil pessoas. As obras destinam-se a reformar e conservar escolas, prédios e instalações da administração estadual.

O governo do estado destina ainda R$ 83 milhões para a duplicação da Avenida Kennedy e a construção do viaduto de Nilópolis-Mesquita, na Baixada, dentro do programa de mobilidade urbana. Já foram gastos 70% dessas duas obras, que vão beneficiar 1,3 milhão de habitantes.
A Secretaria de Obras está licitando a construção de três complexos esportivos nas comunidades do Jardim Batan, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, do Complexo do Alemão, e no Jacarezinho, os dois últimos na Zona Norte carioca. Serão investidos R$ 7,3 milhões nessas obras que vão beneficiar cerca de 40,6 mil pessoas e gerar 260 empregos diretos.

Relacionado ao Pró-Infra, numa parceria com o governo federal, o governo do estado investiu R$ 10,2 milhões na construção da ponte sobre o Rio Paraíba do Sul, em Resende, na Região do Médio Paraíba. Além dos 35 mil habitantes desse município, são beneficiadas pessoas de cidades vizinhas e visitantes ao facilitar o deslocamento entre a Via Dutra e Resende, inclusive viabilizando a instação de empresas, como a Votorantim. No âmbito do Habitar Brasil – BID, foram gastos quase R$ 2,6 milhões com a urbanização da Comunidade de Vila Natal, em Barra Mansa, também no sul do estado, beneficiando 500 moradores dessa localidade.

Com recursos próprios, o governo investirá R$ 32 milhões na urbanização e com obras de infraestrutura no Bairro Nova Aurora, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, onde moram 35 mil pessoas em condições degradantes. Também serão empregados R$ 7,8 milhões no Parque Nova Esperança, em Duque de Caixas, na Baixada, onde vivem pessoas em condições precárias, com a construção de 80 unidades habitacionais, implantação de sistemas de drenagem, de esgotamento sanitário, canalização do Rio Calogi e construção de creche e de equipamentos sociais. Serão gerados 100 empregos.

Com obras emergenciais, a Secretaria de Obras vai gastar este ano R$ 206 milhões, empregando 580 pessoas e beneficiando 400 mil habitantes. Serão 29 obras de pavimentação e drenagem urbana e rural, construção de taludes e contenção de encostas em 29 municípios do interior, além de obras em Angra dos Reis, Duque de Caixas e Belford Roxo, castigadas recentemente com enchentes e deslizamentos de encostas.

Fonte: Governo do Rio