Início Plantão Rio Prefeito participa de lançamento do conteúdo e design expositivo do Museu do...

Prefeito participa de lançamento do conteúdo e design expositivo do Museu do Amanhã

 

 

 

Discutir as possibilidades de construção do futuro é um dos principais objetivos do Museu do Amanhã, cujo conteúdo e design foi apresentado pela primeira vez nesta quarta-feira, dia 2, no Palácio da Cidade, em Botafogo, durante cerimônia que reuniu o prefeito Eduardo Paes e o arquiteto espanhol Santiago Calatrava, idealizador do projeto. Avaliado em R$ 130 milhões, o museu é fruto de iniciativa da Prefeitura do Rio com a Fundação Roberto Marinho.

 

 

Considerado uma das âncoras do Porto Maravilha – projeto da prefeitura de revitalização da região portuária através da maior Parceria Público-Privada do País – o Museu do Amanhã deve ser inaugurado no primeiro semestre de 2014.

 

Para o prefeito Eduardo Paes, instalar o Museu do Amanhã em uma das regiões mais antigas e tradicionais da cidade o torna ainda mais valioso para o Rio.

 

 

– É um retorno ao Rio antigo com uma proposta concreta de um futuro bem melhor. A região portuária ficou abandonada durante muito tempo. Graças ao projeto da prefeitura, que firmou a maior Parceria Público-Privada do país, o Porto Maravilha está provendo o renascimento daquela região. O Museu do Amanhã será um novo ícone da cidade, assim como já são o Maracanã, os Arcos da Lapa, o Cristo Redentor e nossos monumentos naturais. Em dois meses sediaremos a Rio+ 20 e a proposta de conteúdo do Museu do Amanhã nos apresenta esse desafio de pensar o que devemos fazer em relação ao futuro de nossa cidade e do mundo – disse Eduardo Paes.

 

 

Ainda falando da importância da recuperação da região, o prefeito lembrou de outro símbolo da nova fase do porto como um polo cultural:

 

 

– No próximo mês, será inaugurado o Museu de Arte do Rio, o MAR. Visitei as obras, que estão a todo vapor, e posso adiantar que o prédio está fantástico – reforçou Paes.

Para o espanhol Santiago Calatrava, a meta é que o museu seja uma lição de sustentabilidade:

– Todos os materiais que estamos utilizando são reciclados, sem dano algum ao meio ambiente. Será um espaço que, sem dúvida, vai aproximar seus visitantes da natureza. Além do edifício, todo o seu entorno também vai destacar os elementos naturais da cidade – afirmou Calatrava, que se disse orgulhoso por desenvolver o projeto em uma região que está sendo revitalizada:

– Ocupar o Píer Mauá em um momento em que se revitaliza aquela região é fantástico. Posso dizer que o Museu do Amanhã já está provocando uma radiação incrivelmente positiva sobre o futuro da região portuária do Rio.

Representando a Fundação Roberto Marinho, seu diretor-geral, Hugo Barreto, acrescentou que o projeto está calcado no equilíbrio do planeta:

– Trata-se de um projeto que explora as possibilidades de futuro, ou seja, de como poderemos viver e moldar os próximos 50 anos. É um museu que se baseia, primordialmente, no conhecimento – disse Barreto.

Segundo o presidente da Companhia de Desenvolvimento do Porto (Cdurp), Jorge Arraes, a implantação do Museu do Amanhã representa o maior desafio da revitalização da região, que está em plena execução.

– A primeira fase, nas 12 ruas do entorno da Praça Mauá, está em fase final de execução. Também já iniciamos as obras de infraestrutura do restante. Além disso, a construção da Via do Binário e dos túneis, em ambos os sentidos, assim como as obras no entorno da Rodoviária Novo Rio, já começaram – disse Arraes.

O Museu do Amanhã terá 12mil m² de área e aproveitará os recursos naturais daquele local, como a água da Baía de Guanabara, a energia solar e ventilação natural. O espaço será dedicado às Ciências, mas com formato diferente dos museus já existentes. O percurso de visitação vai oferecer aos visitantes uma “aventura da passagem do conhecido para o desconhecido, permitindo o livre exercício da imaginação”.

 

O espaço terá dois níveis conectados por rampas. Seis mil metros quadrados serão dedicados à área expositiva. No térreo, os visitantes terão loja, auditório, salas de exposições temporárias, salas de pesquisa e ações educativas e um restaurante, além das áreas administrativas do museu. No pavimento superior, serão construídas as salas das exposições permanentes, um belvedere para contemplação da vista e um café.

 

 

O projeto do Museu do Amanhã também conta com apoio do Governo do Estado, representado no evento desta quarta-feira pela secretária de Cultura, Adriana Rattes. A cerimônia também foi acompanhada por consultores científicos e técnicos do projeto.