Início Plantão Rio Prefeitura premia vencedores do concurso Rio Apps e lança portal de aplicativos

Prefeitura premia vencedores do concurso Rio Apps e lança portal de aplicativos

Fotos: J.P. Engelbrecht

 

 

A Prefeitura do Rio entregou na quinta-feira, dia 3 de março, o prêmio aos vencedores da 3ª edição do “Concurso Rio Apps — Cidade Olímpica”, no Palácio da Cidade. A iniciativa reconhece e estimula o uso de aplicativos que podem melhorar o cotidiano de moradores, empresas e turistas do Rio de Janeiro. A cerimônia marcou ainda o lançamento do Portal de Aplicativos para uma cidade inteligente — plataforma interativa que servirá de apoio aos usuários e às startups de criação de  softwares de serviços.  

 

 

— Esta edição consolida a política pública de inovação com o estímulo ao trabalho de desenvolvedores. Hoje, são quase 80 aplicativos funcionando, por isso criamos um portal para uma cidade inteligente, onde é possível interagir e até aprimorar serviços já oferecidos. Uma das principais preocupações da prefeitura é dar agilidade às necessidades do cidadão, e a qualidade e o impacto desses produtos vão interferir no dia a dia dos cariocas de forma positiva  — explicou o secretário especial de Ciência e Tecnologia, Franklin Coelho.

 

 

Organizado pela Secretaria Especial de Ciência e Tecnologia, o concurso recebeu a inscrição de 70 projetos, dos quais 14 foram selecionados para a premiação. Ao todo, foram distribuídos R$ 98 mil em prêmios para sete categorias: Melhor Aplicativo, Aluno, Investidor, Escolha Popular, Trabalho e Emprego, Rio Cidadania e cinco menções honrosas.

 

 

Inscrito na categoria Rio Cidadania, o aplicativo Jump Park ganhou o prêmio de R$ 30 mil como o Melhor Aplicativo. Os desenvolvedores cadastraram mais de 500 estacionamentos na cidade e criaram uma interface intuitiva que lista os mais próximos do usuário, com preço, horário e comodidades (cartão de crédito, cobertura, lavagem, vaga de deficiente e moto).

 

 

 

— O primeiro passo foi se colocar no lugar do motorista, por isso o aplicativo é uma mídia interativa em que o usuário se comunica com o estacionamento e vice-versa.  A intenção é investir o prêmio na aprimoração do sistema para criarmos promoções que sejam econômicas para quem usar e boas para quem tem vaga ociosa na cidade — destacou Gustavo Cabral, responsável pela equipe que desenvolveu o Jump Park.

 

 

 

Por oferecer uma lista dos melhores eventos na cidade e ser voltado para o turismo, o app “E aí, partiu?” ficou em segundo lugar na categoria Melhor Aplicativo, garantindo R$ 20 mil a Rodrigo Ferreira.  Em terceiro, o concurso premiou com R$ 10 mil o app “Rio Viva Água”, de Renato Vieira de Souza, que ajuda a economizar água com a colaboração dos moradores, que podem notificar vazamentos, regiões onde faltam água e abusos de consumo para evitar o desperdício.

 

 

 

Ao resolver a demanda da Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego (SMTE), o apps “Protótipo SMTE (agendamento)” garantiu a vitória na categoria Trabalho e Emprego. Os alunos da UFRJ Jennifer Antunes e Vinicius Gonçalves criou uma solução para o agendamento da emissão de Carteira de Trabalho e Previdência Social e a solicitação do seguro-desemprego, reduzindo filas e agilizando os serviços oferecidos pela secretaria, seguindo as diretrizes estabelecidas pelo Ministério do Trabalho.

 

 

— O agendamento era um problema crônico. Agora, o software facilita a vida da população carioca, ao ponto de haver uma negociação com o Ministério do Trabalho no sentido de tornar o aplicativo nacional — revelou o secretário municipal de Trabalho e Emprego, Augusto Ribeiro.

 

 

 

Os vencedores nas categorias Investidor, Aluno, Trabalho e Emprego e Rio Cidadania receberam R$ 5 mil. Cinco projetos receberam menção honrosa e R$ 2 mil cada. O prêmio Escolha Popular teve escalonamento: o “Adivinha Rio” garantiu o primeiro lugar com o game de pontos turísticos, culturais e históricos da cidade; e o “Nave APP” ficou em segundo, ao indicar a localização das naves do conhecimento da prefeitura, com informações sobre cursos e serviços oferecidos.

 

 

— Achei tão interessante a proposta que resolvi participar, sem a  menor pretensão, mas acabei agraciada com R$3 mil, troféu e a certeza de que devo continuar a desenvolver — comentou Aline de Souza Ornellas, ex-aluna da Nave do Conhecimento de Triagem e desenvolvedora do Nave APP.

 

 

Os desenvolvedores se basearam em temáticas próprias ou se inspiraram em uma das mais de 5.300 ideias inscritas nas três edições do concurso Rio Ideias, que precedem o “Rio Apps”, premiação realizada em agosto do ano passado, com 1.009 propostas. Um dos critérios de julgamento foi o potencial impacto sobre os moradores e visitantes do Rio de Janeiro, além da utilização das informações sobre a cidade disponíveis no portal de dados abertos data.rio.

 

 Informações, clique aqui