Início Plantão Rio Preso o traficante Facão

Preso o traficante Facão

A Secretaria de Administração Penitenciária prendeu, através da Superintendência de Inteligência do Sistema Penitenciário (Sispen), o traficante Ney da Conceição Cruz, o Facão, na tarde desta sexta-feira (09/10), no Guarujá, em São Paulo. O criminoso estava evadido do Sistema Prisional desde o último 13 de abril, quando recebeu do juiz o benefício de trabalho extramuros.
 
Há cerca de 30 dias, a Sispen começou a monitor o criminoso, através de escutas telefônicas, autorizadas pela promotora Valéria Videira Costa, titular da 21ª Promotoria de Investigação Penal (PIP) e chefe do Núcleo de Monitoramento do Sistema Penitenciário no Ministério Público.
 
A equipe da Sispen, após identificar que ele se encontraria com a esposa no Centro do Guarujá, se deslocou para a cidade paulista e conseguiu prendê-lo no meio da rua. O criminoso não estava armado e também não resistiu à prisão. A mulher dele foi liberada. Segundo informações da Sispen, o traficante acertava com a esposa a compra de um imóvel para que ela e os dois filhos se instalassem definitivamente.
 
O traficante está preso em São Paulo e será trazido, o mais breve possível, para o Rio.
De acordo com o secretário da Administração Penitenciária, Cesar Rubens Monteiro de Carvalho, a prisão do criminoso contribui para a segurança pública do Rio de Janeiro e reforçou a importância do setor de inteligência penitenciária:
 
– A Inteligência em qualquer segmento é importantíssima. Não temos que ficar brigando por domínio de equipamentos. Qualquer instituição séria pode ter recursos necessários para combater o crime. A prisão chegou em um momento muito importante, já que se questionava a existência da Sispen, que sempre apoiou o Ministério Público na elucidação de grandes delitos. A prisão do criminoso representa um baque significativo, já que ele e o Matemático (Márcio José Sabino Pereira, que também recebeu o mesmo benefício e não retornou ao presídio) queriam dar uma estrutura à facção criminosa com maior controle, o que seria um risco para a sociedade. Nosso próximo objetivo é o Matemático – garante Cesar Rubens.
 
Na entrevista coletiva, o secretário Cesar Rubens foi questionado sobre a progressão de regime de presos de alta periculosidade, como Facão. O criminoso obteve na Justiça o benefício de trabalho extramuros, após conseguir uma vaga como auxiliar administrativo em uma empresa chamada ADG Comércio de Metais e Ferragens Ltda., em Bonsucesso.
 
– Os critérios para avaliação da concessão de um benefício aos presos existem. Mas, na nossa concepção, deveriam ser iguais a alguns países onde determinados presos começam e terminam a pena no mesmo regime. Entendemos que presos de alta periculosidade, se condenadas ao regime fechado, devem cumprir a pena integralmente. Nós somos a favor da ressocialização, da reintegração, da remissão da pena, mas a progressão automática deve ser repensada pela sociedade. Os magistrados, às vezes, ficam reféns das leis que vigem hoje, eles não podem interferir na lei. Ninguém está acima da lei – frisou o secretário.

Fonte: Secretaria de Administração Penitenciária