Início Plantão Rio Projeto Agentes de Leitura na Biblioteca Nacional

Projeto Agentes de Leitura na Biblioteca Nacional

 

Belford Roxo, Cardoso Moreira, Duque de Caxias, Itaboraí, Macaé, Mesquita, Nova Friburgo e São Gonçalo estão entre os 15 municípios fluminenses que passarão a ser atendidos pelo Projeto Agentes da Leitura, criado em 2010 pelo Governo Federal. Neste sábado, dia 30/6, um encontro no Auditório Machado de Assis da Biblioteca Nacional (Rua México s/n, Centro, Rio de Janeiro) divulgará a ampliação do programa no Estado do Rio de Janeiro para o período 2012-2013. Na ocasião, 123 novos agentes de leitura e capacitadores darão início ao processo de formação antes de atuarem nas localidades. 

 

Este ano, uma parceria entre o Ministério da Cultura (MinC) e o Ministério da Educação (MEC) proporcionou um investimento de R$ 30 milhões no programa. Atualmente, a iniciativa conta com cerca de 4 mil agentes espalhados por todo o País e a expectativa é de ultrapassar os 7,5 mil até o fim de 2012.

 

Após o credenciamento dos convidados, marcado para as 9h, uma mesa composta por autoridades inicia os trabalhos às 10h. Galeno Amorim, presidente da Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC), Maria Antonieta Cunha, coordenadora da Diretoria de Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca (DLLLB), e Eliana Yunes, representante da Cátedra de Leitura da Unesco, participam do evento. Adriana Rattes, Secretária de Cultura do Rio de Janeiro, e Vera Saboya, Superintendente da Leitura e do Conhecimento, representam o Governo Estadual no encontro. Às 12h30, será reservado um momento para a fala dos representantes dos municípios fluminenses contemplados pelo projeto.

 

Pela tarde, trabalhos práticos realizados pelos especialistas formadores de agentes estendem as atividades até as 17h.
Os agentes de leitura são jovens entre 18 e 29 anos que visitam comunidades de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e com elas desenvolvem atividades de estímulo à leitura, como contação de história e rodas de leitura. Para participar do projeto é necessário ter ensino médio completo e disponibilidade para atuar em bairros afastados. Todos são avaliados por meio de provas e recebem uma bolsa de R$ 350,00 mensais, para trabalhar 6h por semana junto a famílias e bibliotecas públicas.

 

A iniciativa do Governo Federal repassa os recursos do programa diretamente aos estados e municípios. Cabe a eles a implantação do mesmo em seu território. O projeto é uma das estratégias do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), que visa a democratização do acesso ao livro e a formação de novos leitores no Brasil.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa