Início Plantão Brasil Reaproveitamento de materiais é exemplo na obra do Maracanã

Reaproveitamento de materiais é exemplo na obra do Maracanã

 

 

Palco da final da Copa de 2014, o Maracanã também dá exemplos de sustentabilidade. Durante as obras de modernização do estádio, que serão entregues em fevereiro de 2013, entulhos, antigas cadeiras e o gramado por onde passaram ídolos do futebol têm destino certo: tudo é reaproveitado em outras obras e estádios. As práticas sustentáveis começam a ser adotadas já no canteiro de obras. Setenta e cinco por cento do material de demolição – que inclui concreto, ferro, isopor e madeira – estão sendo britados.

 

 

Materiais usados são recicláveis O concreto demolido foi reutilizado na preparação da base para receber os guindastes. Os vergalhões foram encaminhados para reciclagem.

 

 

– Tudo que está sendo demolido é reciclado, tanto a ferragem quanto o concreto para base e suporte de base. Também estamos tendo cuidados na escolha dos materiais utilizados nas obras, que são recicláveis. A reforma está toda dentro do universo ambiental – disse o presidente da Emop (Empresa de Obras Públicas do Rio de Janeiro), Ícaro Moreno.

 

 

Remoção do gramado dá origem a projeto paisagístico

Depois da remoção do gramado, a primeira camada do solo foi aproveitada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente no paisagismo e na agricultura da Ilha de Guaratiba, na Zona Oeste. A lama proveniente da perfuração das estacas da fundação se transformou em 2,1 milhões de tijolos e 560 mil telhas.

 

 

O Estado doou parte das 83.717 cadeiras removidas dos setores do Maracanã para estádios como Caio Martins e o Parque Esportivo da Rocinha. Clubes de futebol da capital e do interior, como Botafogo, Flamengo e Friburguense, receberam 38.500 cadeiras. Mais de 26 mil foram enviadas para municípios como Macaé, Petrópolis, Resende e Três Rios.

 

 

Um dos objetivos é transformar o Estádio Jornalista Mário Filho em um patrimônio ambiental. O Maracanã terá soluções para a economia de recursos naturais, como água e energia elétrica. O projeto que tornará o Maracanã um estádio “verde” inclui a diminuição nas emissões de CO2, melhoria nas condições do ambiente e otimização do uso de materiais de construção.

 

 

– Toda a reforma está sendo desenvolvida dentro dos critérios ambientais para que o Maracanã seja não só um estádio
moderno, mas também ecologicamente correto – afirmou Ícaro Moreno.

 

 

Fonte: Governo do Rio