Início Plantão Rio Renda Melhor e Renda Melhor Jovem chegam ao Centro-Sul

Renda Melhor e Renda Melhor Jovem chegam ao Centro-Sul

O Governo do Estado assinou nesta segunda-feira (15/7) os termos de adesão do lançamento dos programas Renda Melhor e Renda Melhor Jovem no município de Miguel Pereira, no Centro-Sul fluminense. Mais de R$ 68 mil vão complementar a renda das 808 famílias que vivem em situação de pobreza extrema na região.

 

– Começamos com Japeri, que tem o menor índice de desenvolvimento humano e conseguimos expandir a todas as cidades. Já estamos atendendo a mais de 200 mil famílias e iremos assistir a mais de 1,2 mil no Estado do Rio – afirmou o governador Sérgio Cabral.

 

Lançados em 2011, os programas já investiram mais de R$ 250 milhões e com a ampliação para todos os 92 municípios fluminenses, a partir deste mês, chegarão a mais de 1,2 milhão de pessoas.

– Esse programa é considerado o melhor de complementação de renda do Plano Brasil Sem Miséria. Com o Renda Melhor Jovem, os estudantes podem investir em qualificação para aproveitar o momento de crescimento que o estado vive – complementou o e vice-governador e o coordenador de Infraestrutura do Estado, Luiz Fernando Pezão.

 

Vida nova para toda a família

Trabalhando sem carteira assinada, a caseira Rosimar Silva, de 39 anos, única responsável financeira por duas filhas e uma neta de cinco meses, comemora a chegada do complemento mensal,que vai garantir a alimentação da família.

– Estou muito mais tranquila agora. Com a surpresa do nascimento da minha neta, tinha ficado ainda mais difícil fazer compras e garantir o sustento delas – disse Rosimar.

 

Inscrita no programa Renda Melhor Jovem, uma das filhas de Rosimar, Stela Silva, 17 anos, pretende investir o benefício em uma capacitação técnica em enfermagem.

– Quero fazer Medicina. Assim que concluir o Ensino Médio, vou investir em um curso técnico em enfermagem, por ser mais acessível. Sem esse recurso, eu pararia de estudar – afirmou a estudante do 2° ano.

 

A diarista Simone Freitas, 36 anos, moradora de uma área rural no município, afirma estar mais tranquila em relação à educação e à saúde dos dois filhos.

– Esse valor vai me ajudar a dar uma assistência melhor aos meus filhos, na compra de material escolar e até na aquisição de remédios – disse Simone.

 

Governo do Rio