Início Destaque Rio conclui vacinação por idades neste fim de semana

Rio conclui vacinação por idades neste fim de semana

O Distrito Federal começa neste sábado (19) a vacinar pessoas com 49 anos, em Cinco pontos de vacinação, que atenderão esse grupo durante o fim de semana

O sábado, dia 25 de setembro, ficará marcado na história da saúde pública do Rio: a capital conclui seu calendário de imunização das idades autorizadas pela Anvisa para receber a vacina contra covid-19.

A campanha de vacinação, que por nove meses vem contemplando faixas etárias por ordem decrescente, chega nesta sexta-feira (24) e sábado (25) aos adolescentes de 12 anos. Mais de 9 milhões de doses já foram aplicadas na campanha, ultrapassando metade da população carioca total com o esquema vacinal completo e 99% dos adultos imunizados.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, celebra que o chamado passaporte da vacina tenha incentivado ainda mais cariocas a se imunizar: – Tivemos uma procura alta de pessoas buscando se vacinar na repescagem. Ficamos felizes em vaciná-las.

Nesta sexta-feira (24), podem se vacinar com a primeira dose (D1) adolescentes de 13 e 12 anos; e no sábado (25), quando os postos funcionarão das 8h às 17h, todas as idades a partir de 12 anos. Já com a segunda dose (D2), a expectativa é vacinar 80 mil pessoas nos próximos dias. Além disso, os idosos de 84 anos ou mais e pessoas com alto grau de imunossupressão com 40 anos ou mais receberão a dose de reforço (DR) até o final de semana.

Outro motivo para comemoração é o cumprimento – e até mesmo antecipação – de metas estipuladas para a campanha de vacinação contra covid-19, como o objetivo de vacinar 90% da população adulta com a D1 inicialmente planejado para 02/09, mas que foi alcançado em 18/08. Outro exemplo era a previsão de início da aplicação da DR em outubro, mas que acabou acontecendo um mês antes, em 1º de setembro.

– Sempre destacamos que as vacinas usadas na cidade são aprovadas pela Anvisa, seguras e eficazes. Cada vez estamos mais vacinados e protegidos – explica o superintendente de Vigilância em Saúde do Rio de Janeiro, Márcio Garcia, que destaca: – A primeira dose é importante, mas a segunda é a forma de atingir a proteção completa.