Início Plantão Rio Rio de Janeiro bate recorde de geração de empregos em abril

Rio de Janeiro bate recorde de geração de empregos em abril

 

 

O mais recente resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, trouxe uma ótima notícia para a população do Rio de Janeiro. A Região Metropolitana obteve o melhor resultado da história para no mês de abril, com 14.235 novos empregados com a carteira assinada, um aumento de 0,52%. Em todo o Estado, foram 18.541 novos postos de trabalho. O setor que mais gerou vagas foi a Construção Civil (+ 5.922 postos), seguido dos setores de Serviços (+ 5.751), Comércio (+ 3.778) e Indústria de Transformação (+ 2.243).

 

Segundo o Secretário de Trabalho e Renda, Sergio Zveiter, a tendência é que o emprego continue em expansão no Rio de Janeiro, com a proximidade dos grandes eventos e a abertura de importantes empreendimentos.

 

 

O que impulsionou o recorde de contratações no estado?
Sergio Zveiter: Estamos numa excelente fase, com a geração de empregos e essa tendência deve ser verificada ainda nos próximos meses e anos. O Rio de Janeiro nunca teve um momento como esse, com tantos investimentos em diversas áreas, e a construção civil tem se destacado durante todo esse ano. De janeiro até abril, o setor já absorveu quase 30 mil novos trabalhadores (26.538). Só no primeiro emprego, foram 4.023 novas vagas, mas outros 78.336 trabalhadores voltaram para o setor, ou seja, foram reempregados.

 

 

A que se deve o aumento de vagas no setor de Serviços?
Sergio Zveiter: Esses números são referentes aos quatro primeiros meses do ano. Isso reflete diretamente no setor de Ensino, que foi o grande destaque, devido ao retorno às aulas. Foram empregados quase 8 mil profissionais que trabalham direta ou indiretamente nesse setor: professores, auxiliares das secretarias, merendeiras e inspetores, entre outros. No primeiro emprego, foram 2.393 profissionais de ensino e 19.062 retornaram para o setor. No total, foram quase 22 mil trabalhadores admitidos desde janeiro.

 

Que outros setores vêm se destacando na oferta de postos de trabalho?
Sergio Zveiter: Não poderia deixar de falar sobre o setor de administração de imóveis. Apesar de abril ter tido uma perda de 329 vagas, no acumulado do ano é o grande destaque comparados a todos os setores da economia do estado. Foram 11.310 novos postos de trabalho, sendo 9.817 no primeiro emprego e 97.664 que retornaram para o mercado de trabalho. O mercado de aluguéis de imóveis está aquecido.

 

Entre as Unidades da Federação, como ficou o Rio de Janeiro?
Sergio Zveiter: Os destaques positivos foram São Paulo (+85.346 postos), Minas Gerais (+28.886 postos), Paraná (+20.923 postos), Rio de Janeiro (+18.541 postos), Goiás (+17.146 postos) e Rio Grande do Sul (+14.163 postos). Com relação às Regiões Metropolitanas, o Rio de Janeiro ficou em segundo lugar, com 14.235 novos postos de trabalho, perdendo apenas para São Paulo, que teve 28.010 novos postos. Este é um resultado excelente, tendo em vista que, levando em consideração os números de todos os estados brasileiros, o resultado foi negativo em abril. Logo, o Rio está na contramão no sentido positivo, ou seja, crescendo cada vez mais.

 

Fonte: Governo do Rio